Comidinhas

De negócios virtuais a lojas próprias

Antes restritas a atender encomendas, Fôrma de Pudim e a Marie Marie Bakery investem em produtos pronta-entrega

Por: Gabriela Boccaccio - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Por encomenda. Só assim era possível provar os bolos de Daniela Meneghini e os pudins de Daniela Aliperti. O modelo de funcionamento de custo mais baixo, ideal para o início dos negócios, aos poucos deixou de ser suficiente. Com as vendas em alta, a Marie Marie Bakery e a Fôrma de Pudim acabam de inaugurar lojas físicas com pronta-entrega, aumentando a produção. 

Marie Marie Bakery
Daniela Meneghini trocou as obras de ar condicionado para se dedicar à gastronomia  (Foto: Lufe Gomes )

Daniela Meneghini criou o extinto site Marie et Marie logo após se formar em gastronomia, na Anhembi Morumbi, em 2009. Hoje tem seu próprio estabelecimento: a Marie Marie Bakery. A loja online tornou-se física há menos de dois meses. Com investimento de cerca de 100 mil reais (isso sem contar os equipamentos para a cozinha) a padaria com inspiração nova iorquina abriu suas portas no Tatuapé, no começo de novembro.

+ Confira os vencedores de comidinhas da VEJA COMER E BEBER 2014

Fernanda Nader e Daniela Aliperti começaram a vender pudins em um pequeno ateliê três anos atrás. No início do mês inauguraram sua primeira loja física, o Fôrma de Pudim. Passaram de 35 metros quadrados para 200 metros quadrados, aumentaram em três vezes sua equipe e no agitado mês de dezembro chegam a vender mais de cem unidades dos pudins gourmets. A dupla investiu cerca de 400 mil reais para viabilizar o seu negócio e quadriplicar sua produção.Não deixaram de lado as encomendas, mas apostaram em um pequeno café, com a opção do pudim brulée (R$ 10,00) e dos pequenos pudins de 80 gramas (mesmo preço).

Fôrma de Pudim
Fernanda Nader e Daniela Aliperti comandam o Fôrma de Pudim (Foto: Divulgação )

Segundo Daniela, a transição do site de encomendas online para a loja física demorou cerca de um ano. “Comecei com o Marie et Marie como um projeto piloto na internet, na época não era viável abrir a loja”, conta Daniela. Fernanda afirma que o ateliê "não fazia mais sentido, não estávamos dando conta do volume de vendas". A época do Natal é uma das mais lucrativas para a dupla; os pudins grandes, de 1 quilo e 700 gramas, custam 105 reais e podem ser encomendados em todos os sabores.

+ Veja como fazer o pudim de chocolate de Daniela Aliperti

Sem divulgação, a Marie Marie Bakery foi conquistando a vizinhança e as fornadas tiveram que aumentar. A cozinheira explica que “os moradores da região precisavam ir para outros bairros ou até atravessar a cidade para encontrar esse tipo de produto, como o pão de fermentação natural”. Seus produtos são todos naturais: “sou contra alimentos artificiais e quis passar isso na loja”. A cozinheira fez diversas pesquisas para poder ir além dos tradicionais bolos que comercializava online.

Marie Marie Bakery
Marie Marie Bakery: aposta nos doces e salgados  (Foto: Lufe Gomes)

Na extinta Marie et Marie, ela produzia apenas bolos. Agora, procurou explorar outro segmento para sua padaria. Viajou para os Estados Unidos e para França em busca de receitas e inspiração. De Nova York trouxe o monkey bread, bolo composto com pequenas bolinhas, as versões caramelo salgado e amêndoas custam de 20 reais a 40 reais.

+ Conheça os restaurantes bons e baratos da cidade

Os pudins de Daniela Aliperti vão além do tradicional sabor de leite. A cozinheira prepara o doce com ovomaltine, paçoca e chocolate branco, por exemplo. Segundo Fernanda, é a novidade da casa, o pudim brulée, que tem maior saída entre os clientes: "servir esse doce no ateliê era impossível, ele deve ser consumido na hora".

Fôrma de Pudim
Os pudins de 80 gramas podem ser degustados apenas na loja  (Foto: Otavio Bragante)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO