Negócios

Empresas paulistanas apostam em territórios fora da cidade

Vários setores investem em fliais em países como Estados Unidos e na Europa

Por: Mariana Oliveira

Henrique Fogaça, chef do restaurante SAL Gastronomia
O chef Henrique Fogaça: flial do Sal em bairro descolado de Miami (Foto: Divulgação)

No ano em que o dólar anda acima de 4 reais, muitos turistas paulistanos desistiram de viajar para o exterior. Em paralelo, uma série de empreendedores que fizeram fama no setor de serviços da cidade, em especial na gastronomia, está expandindo seus horizontes para além das fronteiras nacionais. A lista vai do salão de beleza Jacques Janine, com uma franquia inaugurada em Orlando, nos Estados Unidos, na última quarta (28), ao grupo Fasano, que abre hotel em Miami em 2017 e já tem terreno em Nova York, a duas quadras do Central Park.

+ Após perder fama e dinheiro, o locutor Asa Branca tenta retomar as rédeas da carreira

Só a aquisição do prédio para a instalação do Hotel Fasano na Flórida custou 175 milhões de dólares, bancados pelo investidor, a imobiliária HFZ Capital Group. Além de 100 quartos, haverá ali 75 unidades residenciais e o estrelado restaurante italiano, a partir de 2017. “Vai ser uma cozinha italiana, sem brasilidade”, adianta Rogério Fasano. Na mesma cidade, o disputado Paris 6 terá forte sotaque nacional, incluindo aí os pratos com o nome de celebridades brasileiras, como o “agnelotti de brie com presunto cru à moda Mariana Ximenes”. O salão está em obras e abrirá as portas em fevereiro do próximo ano. Ao todo, são 7 milhões de dólares de investimento, parte desse montante bancada por sócios estrelados, a exemplo da apresentadora Marília Gabriela e do jogador de futebol Emerson Sheik, ambos com participação na operação brasileira da empresa, que, depois do Rio, se expande, em 201 6, para Porto Alegre, Goiânia e Belo Horizonte.

+ Ana Moser lança academia no Morumbi

Investir em negócios lá fora não é loucura, em tempos de moeda nacional tão desvalorizada? “Está difícil trabalhar com o dólar em alta, mas é um desejo que surgiu há tres anos”, conta o chef Henrique Fogaça. Em abril, quando terminar as gravações da terceira temporada do programa MasterChef, da Band, ele focará a abertura do Sal Gastronomia no descolado bairro de Wynwood, em Miami. O economista Manuel Garcia lembra que o desequilíbrio cambial, sufocante no inicio, poderá se tornar um atrativo e tanto quando o projeto começar a dar lucro. "Conseguir um parceiro americano, porém, deixará obviamente tudo mais fácil", diz.

Barbacoa
Uma das fliais da Barbacoa, em Tóquio: o oitavo endereço no Japão será aberto em dezembro (Foto: Divulgação)

É o que estão fazendo os donos do salão de cabeleireiros Jacques Janine, que optaram pelo sistema de franquia para estrear nos Estados Unidos. Eles não querem depender apenas do fluxo de turistas vindos daqui. "As americanas gostam do jeito brasileiro de fazer manicure e depilação, e é isso que estamos levando" , explica Janine Goossens, uma das criadoras da marca.

+ Plataformas ajudam a reservar jantar na casa de desconhecidos

Entre as pioneiras na conquista de mercado no exterior, a churrascaria Barbacoa aterrissou no Japão em 1994, graças a uma parceria com o grupo asiático Humax, ao lado do qual lançará sua oitava unidade oriental, em Tóquio, em dezembro (tem filiais também na Itália). "Quando abrimos as portas nos Jardins, nos anos 90, o sistema de rodizio era comum só em beira de estrada e na periferia", recorda Ademar do Carmo, um dos fundadores. A empresa tem casas com arquitetura e cardápio padronizados, com estrutura replicável em diferentes endereços. E a mesma estratégia do grupo Rubaiyat, cuja maior parte do controle acionário pertence hoje ao fundo espanhol Mercapital. A empresa deve inaugurar seu quarto endereço internacional até o fim de novembro. Será no Chile.

+ Atores disputam papeis musical cinderella

Há também oportunidades de expansão no Brasil. A cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, por exemplo, ganhará em marco uma unidade do Reserva Cultural, centro de filmes de arte da Avenida Paulista criado por Jean Thomas Bernardini, francês radicado em São Paulo. A filial ficará no Centro Petrobras de Cinema, projetado por Oscar Niemeyer. "Os meus frequentadores são os últimos atingidos pela crise, pois eles sempre terão 20 reais para a cultura e o lazer", aposta Bernardini. Se sobrarem uns trocados, opções não faltarão: o local ocupará 6 000 metros quadrados, incluindo, além de cinco salas, ao menos dois restaurantes, boulangerie e livraria.

O que vem por aí: Gastronomia, hotelaria e beleza estão na lista das marcas mais exportadas

› Rubaiyat

foto 9
› Rubaiyat: casa será aberta em Santiago (Chile) (Foto: Divulgação)

A casa de carnes tem endereços no México, Argentina e Espanha. Até o fim de novembro, deve abrir um em Santiago, no Chile 

› Jacques Janine

Jacques Janine
Jacques Janine: franquia foi para os Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Na última quarta (28), foi inaugurada em Orlando, nos Estados Unidos, uma franquia da rede de salões

› Fasano

Fasano Hotel and Residences at Shore Club
Fasano: projeção artística acima do negócio em Miami (Foto: Divulgação)

A rede abre o primeiro hotel (projeção artística acima) com restaurante em Miami até o fim de 2017. Também planeja a chegada a Nova York em um endereço a duas quadras do Central Park

› Kaá

Kaá
Kaá: restaurante do grupo Egegu será replicado nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

A bonita matriz, localizada na Vila Nova Conceição, será replicada até 2017 em Miami pelos sócios do grupo Egeu. Donos também de marcas como General Prime Burger, eles investirão cerca de 3 milhões de dólares

› Paris 6

PARIS 6 Miami
Paris 6: restaurante badalado tamém irá para o exterior (Foto: Divulgação)

Famosos como a apresentadora Marília Gabriela e o jogador de futebol Emerson Sheik são sócios da primeira unidade estrangeira do empresário Isaac Azar, em Miami Beach (acima, o projeto de arquitetura)

› Reserva Cultural

DSC01449
Reserva Cultural: complexo ganhará unidade em Niterói (RJ) (Foto: Divulgação)

O complexo de filmes de arte da Avenida Paulista ocupará 6 000 metros quadrados no Centro Petrobras de Cinema, em Niterói, a partir de março

Fonte: VEJA SÃO PAULO