Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

SP diz que precisa de ‘kit intubação’ em 24h para evitar colapso nos hospitais

Secretário enviou ofício ao Ministério da Saúde em que faz apelo por medicamentos e diz que situação é 'gravíssima'; ainda acusa órgão de ignorar pedidos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 14 abr 2021, 11h09 - Publicado em 14 abr 2021, 10h06

O governo de São Paulo afirma que precisa receber medicamentos do kit intubação em 24 horas para evitar o desabastecimento das unidades de saúde que tratam pacientes com Covid-19. Em ofício enviado ao Ministério da Saúde, a gestão Doria diz que a situação é “gravíssima”. A informação é jornal Folha de S. Paulo.

“A situação de abastecimento de medicamentos, principalmente daqueles que compõem as classes terapêuticas de bloqueadores neuromusculares e sedativos está gravíssima, isto é, na iminência do colapso, considerando os dados de estoque e consumo atualizado pelos hospitais nesses últimos dias”, afirma o documento assinado pelo secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn.

O secretário diz que, se nada for feito, a partir dos próximos dias faltará medicamentos como bloqueadores neuromusculares e fármacos para sedação contínua dos pacientes que permanecem intubados. Sem eles, as dores do procedimento e do uso dos aparelhos são insuportáveis.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, afirmou na terça (13) que o estado vai fazer uma compra emergencial, no exterior, dos kits de intubação. Ele também já havia cobrado disponibilização de insumos por parte do Ministério da Saúde.

À Vejinha, o Ministério da Saúde disse que “já distribuiu aos estados e municípios mais de 8 milhões de medicamentos para intubação de pacientes ao longo da pandemia. Nesta semana, um grupo de empresas vai doar mais de 3,4 milhões de medicamentos, que serão distribuídos imediatamente aos entes federativos. Além disso, está em andamento dois pregões e uma compra direta via OPAS”.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade