Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Terceira dose em SP começa no início de setembro, diz Doria

Na nova etapa da campanha, voltada para população de risco, são esperadas quase 1 milhão de pessoas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 25 ago 2021, 13h40 - Publicado em 25 ago 2021, 12h59

O governador João Doria (PSDB) divulgou em coletiva de imprensa a data do início da terceira dose de vacinas contra a Covid-19 no estado de São Paulo nesta quarta-feira (25). A aplicação começa em setembro e, por enquanto, é focada nos paulistas com 60 anos ou mais.

“Para aumentar a proteção das pessoas com mais de 60 anos suscetíveis aos efeitos da Covid-19, o estado de São Paulo vai iniciar a terceira dose da vacina para essas pessoas a partir do dia 6 de setembro”, disse Doria. De acordo com o tucano, são esperadas cerca de 900 000 pessoas nos postos de vacinação.

O anúncio ocorre após o Ministério da Saúde divulgar que iniciaria a distribuição de vacinas para a terceira dose no dia 15 de setembro, voltada para idosos com 70 anos ou mais e imunossuprimidos. Segundo a pasta federal, a terceira dose ocorreria exclusivamente com vacinas da Pfizer e, em exceções, com imunizantes da Janssen ou da AstraZeneca.

Segundo João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência, a terceira dose em São Paulo poderá ser realizada com a vacina que estiver disponível. Quem poderá receber a terceira dose são os de 60 anos ou mais que completaram o ciclo vacinal, ou seja, as duas doses, há pelo menos 6 meses.

“Neste momento acreditamos que é um passo a mais na segurança da população”, disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do coronavírus, que afirmou que a medida ocorre em meio a preocupações com o avanço da variante Delta no estado.

Continua após a publicidade

“Os nossos indicadores continuam melhorando. Mesmo com a intensificação de casos da variante Delta, não temos nenhum tipo de alteração nos indicadores em consequência do aparecimento da variante até o presente momento. O que se sabe, até pela experiência em outros países, que o enfrentamento se dá de forma mais positiva quando as pessoas já estão com as duas doses”, afirmou João Gabbardo. “Independente da vacina que foi utilizada na imunização dos idosos, a terceira dose está ocorrendo em vários países”, disse Gabbardo.

“Hoje nós temos 270 amostras positivas da variante Delta no estado”, diz Jean Gorinchteyn, secretário do Estado da Saúde. “Idosos tem uma resposta menor a qualquer tipo de vacina. Se sabendo que existe uma tendência de queda dos anticorpos, temos a responsabilidade de proteger essa população vulnerável, os idosos. E estamos definindo as estratégias para os imunossuprimidos”, afirmou Gorinchteyn.

97,56% da população adulta do estado recebeu a primeira dose de vacinas contra a Covid-19 e 34,08% está com o esquema vacinal completo. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 37,8% em todo o estado.

  •  

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade