Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Maior remessa de insumos para produção da CoronaVac chega a São Paulo

Carga com 8,2 mil litros de matéria-prima permite produção local de 14 milhões de doses da vacina contra a Covid-19

Por Redação VEJA São Paulo 4 mar 2021, 09h57

Chegou a São Paulo na manhã desta quinta-feira (4) a maior remessa de matéria-prima até o momento para a produção local da vacina CoronaVac. O governador João Doria, o secretário da Saúde Jean Gorinchteyn e o diretor do Instituto Butantan Dimas Covas acompanharam o chegada da carga, que veio da China e corresponde a 14 milhões de doses.

“Esta é a maior de todas as remessas que já chegaram, e com ela o Butantan, o governo de SP fornece ao Brasil um total de 35 milhões de doses da vacina, para salvar os brasileiros. E o que mais precisamos é de vacinas, não apenas a do Butantan mas de outras também. Nós estamos entrando nas duas mais graves semanas da Covid-19. Estamos à beira do colapso em todo Brasil, só há uma salvação, além dos cuidados do uso de máscara e não aglomerações, são as vacinas. São Paulo e o Butantan estão cumprindo o seu papel fornecendo 100 milhões de vacinas”, disse Doria

O lote enviado pela biofarmacêutica Sinovac, parceira internacional do Butantan e do governo do estado no desenvolvimento do imunizante, conta com 8,2 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo). A carga chegou em um voo da companhia aérea TAP e passou por escalas em Helsinque, na Finlândia, e Lisboa, em Portugal.

No dia 3 de fevereiro, o Butantan recebeu um carregamento com 5,4 mil litros de IFA vindos da China. No dia 10, chegaram outros 5,6 mil litros de matéria-prima, maior carregamento até então.

Desde 17 de janeiro, o Butantan já entregou 14,45 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 para uso no SUS (Sistema Único de Saúde). Até o final de março serão entregues outras 21 milhões de doses, segundo o governo. Até 30 de abril, o total de vacinas do Butantan ao país somará 46 milhões.

O Butantan também diz que irá entregar ao Ministério da Saúde outras 54 milhões de vacinas contra a Covid-19 até 30 de agosto, totalizando 100 milhões de doses previstas em contrato com a pasta federal.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade