Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Covid: Hospital das Clínicas quer vacinar 1 000 trabalhadores nesta segunda

A campanha de imunização no estado de São Paulo teve início no HC no domingo (17) com 112 pessoas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 18 jan 2021, 11h00 - Publicado em 18 jan 2021, 10h59

Começou no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP uma megaoperação para vacinar os profissionais de saúde contra a Covid-19. Nesta segunda-feira (18), é esperado que 1 000 trabalhadores do hospital sejam vacinados.

O objetivo da grande operação é vacinar aproximadamente 30 000 dos profissionais do local. A campanha de imunização no estado de São Paulo teve início no HC neste domingo (17) com 112 pessoas.  

Os postos de atendimento aos funcionários vão funcionar das 7h às 19h. Diretora clínica do complexo hospitalar do HC, Heloísa Bonfat afirmou que a vacinação será feita em ordem alfabética, com agendamentos a cada 30 minutos. 

A campanha desta segunda-feira (18) é um piloto. Heloísa disse que, nos próximos dias, receberão o imunizante cerca de 8 000 pessoas por dia, com a segunda dose sendo aplicada 21 dias após a primeira. 

Vacinação em São Paulo

O governador João Doria (PSDB) anunciou que a vacinação contra a Covid-19 no estado de São Paulo começou neste domingo (17). A primeira pessoa a ser vacinada foi a enfermeira Mônica Calazans.

Segundo Doria, a partir desta segunda (18), “entra em operação o plano logístico de distribuição de doses, seringas e agulhas”. Os profissionais de saúde serão vacinados em seis hospitais de referência no estado. São eles: Hospital das Clínicas de São Paulo e de Ribeirão Preto (USP), Hospital das Clínicas de Campinas (Unicamp), Hospital de Clínicas de Botucatu (Unesp), Hospital de Clínicas de Marília (Famema) e Hospital de Base de São José do Rio Preto (Funfarme).

Segundo o governo, unidades foram selecionadas para a fase inicial porque são hospitais-escola regionais, com maior fluxo de pacientes em suas áreas de atuação. Todos devem iniciar nesta semana a vacinação de suas equipes, que totalizam 60 mil trabalhadores.

Na sequência, grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às Prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade