Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Doria determina que Butantan entregue vacinas para Ministério da Saúde

Instituto espera resultado de reunião de diretores da Anvisa, que decidem pela aprovação ou não do uso emergencial do imunizante

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 17 jan 2021, 14h29 - Publicado em 17 jan 2021, 14h25

O governador de São Paulo, João Doria, determinou que o Instituto Butantan encaminhe para o Ministério da Saúde as doses de Coronavac que já estão armazenadas e que foram acordadas que serão incorporadas pelo governo federal no Plano Nacional de Imunização. “Determinei que tão logo a Anvisa aprove o uso emergencial da Vacina do Butantan, o Instituto Butantan entregue imediatamente as vacinas ao Ministério da Saúde para que sejam distribuídas a SP, DF e todos os estados brasileiros. O Brasil tem pressa para salvar vidas”, postou o governador em suas redes sociais.

O Ministério da Saúde solicitou a entrega imediata de 6 milhões de doses. Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou na sexta-feira (15) que 4,5 milhões de doses da CoronaVac já estavam à disposição do Ministério da Saúde. João Doria havia defendido que a cota referente ao estado permanecesse em São Paulo para que a vacinação comece imediatamente após a aprovação da Anvisa.

O Ministério, então, reiterou o pedido. “Em relação à solicitação […] no que tange a informação acerca do quantitativo destinado ao estado de São Paulo […], informamos que a responsabilidade pela elaboração, atualização e coordenação do plano nacional de operacionalização da vacinação contra a Covid-19 é do Ministério da Saúde”, afirmou. 

Neste domingo, a Anvisa faz reunião transmitida ao vivo com a votação da diretoria colegiada sobre a aprovação para uso emergencial tanto da Coronavc quanto da vacina Oxford/AstraZeneca.

Continua após a publicidade

Publicidade