Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Doria recua e adia flexibilização que começaria em 1º de junho

Fase de transição se estenderá até, pelo menos, 14 de junho; decisão ocorre após alerta do Centro de Contingência do Coronavírus

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 26 Maio 2021, 13h30 - Publicado em 26 Maio 2021, 12h51

O governador João Doria (PSDB) decidiu suspender a flexibilização das medidas restritivas no estado. Elas entrariam em vigor já no dia 1º de junho, mas o aumento de casos de Covid-19 fez o governo recuar. Agora, a fase de transição se entende até o dia 14 de junho. 

“O funcionamento das atividades econômicas seguirá até as 21h e a capacidade será de 40% de ocupação nos estabelecimentos. A ciência orienta cautela neste momento e nós iremos ter cautela”, disse Doria em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (26).

No dia 19 de maio, o governador havia anunciado uma flexibilização da fase de restrição, com ampliação do horário de funcionamento do comércio até as 22h. Também haveria flexibilização na taxa de ocupação dos estabelecimentos de 40% para 60%.

No entanto, o governo optou pelo adiamento do relaxamento após alerta do Centro de Contingência do Coronavírus, que teme o avanço do coronavírus no estado. Nesta quarta (26), foi identificado o primeiro caso da variante indiana em São Paulo.

Durante a coletiva de imprensa, o governador também anunciou datas de vacinação para pessoas entre 45 e 54 anos, portuários e aeroviários.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade