Clique e assine com até 89% de desconto

Térreo Bar

(Desde 2019)

Tipos de Bares: Bom e barato

VejaSP:

Endereço: Largo do Arouche, 77 - Centro - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 989353597

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira - Fechado

quarta-feira 18:00 - 23:00

quinta-feira 18:00 - 23:00

sexta-feira 18:00 - 23:00

sábado 16:00 - 23:00

domingo 16:00 - 23:00

Informações adicionais: Entrega em domicílio, Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (60), Levar vinhos (permite) (R$ 30,00)

Resenha por Saulo Yassuda

O Largo do Arouche, erguido no século XIX, é conhecido pelas, digamos, relíquias do entorno: o Mercado das Flores, de 1953, o restaurante La Casserole, de 1954, a sede da Academia Paulista de Letras, de 1955… 2019 foi o ano da chegada de um novo morador: o Térreo Bar, que traz àquela área um espírito jovem e moderno. Pertence a Leo Henry e Alex Ferrer, que, apesar da idade (30 e 34 anos), guardam um baita repertório familiar ligado aos comes e bebes — o primeiro cresceu no salão do La Casserole, e o segundo faz parte de uma família dona de uma indústria de cachaça em Pernambuco. Por conta própria, os sócios criaram no térreo do prédio de apartamentos BK30 um bar com a cara deles, que se configura no melhor lugar para tomar drinques e petiscar do largo. Os lugares mais privilegiados estão no terraço, com vista para a praça. No corredor lateral, ficam mesas um pouco mais reservadas, indicadas para um encontro a dois. E há ainda o salão, pequeno, escurinho e de bancadas altas. No bar se belisca bem — e sem gastar tanto. Para quem dispensa todo tipo de carne, as batatinhas hassel-back (R$ 18,00), cortadas feito uma sanfona e aqui assadas com shoyu, páprica defumada e alecrim, servidas ao lado de maionese, são tão apetitosas quanto os cogumelos-de-paris ao alho gratinados com parmesão (R$ 26,00). Salgadinha, a pipoca do mar (R$ 16,00) é um punhado de vôngoles empanados, fritos e assados, ótimos com gotas de limão. O croque-monsieur (R$ 19,00), quentinho, é o sanduíche de presunto umedecido de bechamel ao forno com parmesão. A carta de coquetéis lista clássicos como o Porto-tônica (R$ 29,00) e sugestões criadas por Ferrer. Vão muito bem o levinho bonne spritz (gim, geleia de frutas vermelhas, sucos de limões e espumante; R$ 24,00) e o neném da várzea (bourbon, Fernet Branca, limão-taiti, gengibre, Angostura e um toque de tônica; R$ 29,00). O central smash (R$ 26,00), de gim, limão-siciliano e manjericão, ganha um golinho de vinho tinto para colorir de leve. Exceção mais cara, o imprevisto (R$ 37,00) junta amaro Averna, Fernet Branca, vermute branco doce e vodca, para tomar de golinho em golinho.

Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.

    O Largo do Arouche, erguido no século XIX, é conhecido pelas, digamos, relíquias do entorno: o Mercado das Flores, de 1953, o restaurante La Casserole, de 1954, a sede da Academia Paulista de Letras, de 1955… 2019 foi o ano da chegada de um novo morador: o Térreo Bar, que traz àquela área um espírito jovem e moderno. Pertence a Leo Henry e Alex Ferrer, que, apesar da idade (30 e 34 anos), guardam um baita repertório familiar ligado aos comes e bebes — o primeiro cresceu no salão do La Casserole, e o segundo faz parte de uma família dona de uma indústria de cachaça em Pernambuco. Por conta própria, os sócios criaram no térreo do prédio de apartamentos BK30 um bar com a cara deles, que se configura no melhor lugar para tomar drinques e petiscar do largo. Os lugares mais privilegiados estão no terraço, com vista para a praça. No corredor lateral, ficam mesas um pouco mais reservadas, indicadas para um encontro a dois. E há ainda o salão, pequeno, escurinho e de bancadas altas. No bar se belisca bem — e sem gastar tanto. Para quem dispensa todo tipo de carne, as batatinhas hassel-back (R$ 18,00), cortadas feito uma sanfona e aqui assadas com shoyu, páprica defumada e alecrim, servidas ao lado de maionese, são tão apetitosas quanto os cogumelos-de-paris ao alho gratinados com parmesão (R$ 26,00). Salgadinha, a pipoca do mar (R$ 16,00) é um punhado de vôngoles empanados, fritos e assados, ótimos com gotas de limão. O croque-monsieur (R$ 19,00), quentinho, é o sanduíche de presunto umedecido de bechamel ao forno com parmesão. A carta de coquetéis lista clássicos como o Porto-tônica (R$ 29,00) e sugestões criadas por Ferrer. Vão muito bem o levinho bonne spritz (gim, geleia de frutas vermelhas, sucos de limões e espumante; R$ 24,00) e o neném da várzea (bourbon, Fernet Branca, limão-taiti, gengibre, Angostura e um toque de tônica; R$ 29,00). O central smash (R$ 26,00), de gim, limão-siciliano e manjericão, ganha um golinho de vinho tinto para colorir de leve. Exceção mais cara, o imprevisto (R$ 37,00) junta amaro Averna, Fernet Branca, vermute branco doce e vodca, para tomar de golinho em golinho.

    Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.