La Casserole (Desde 1954)

Tipos de Restaurantes: Franceses
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Largo Do Arouche, 346 - Centro - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 33316283
Horário:
segunda-feira
Fechado
terça-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
quarta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
quinta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sexta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sábado
12:30 - 16:00 - 19:00 - 00:30
domingo
12:30 - 16:30
monetization_on

Faixa de preço

De R$176,00 a R$300,00

check_circle

Informações adicionais

Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (80 lugares), Levar vinhos (permite) (R$ 50,00)

Resenha por Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

Se não fosse o empenho da proprietária Marie-France Henry em preservar a qualidade do restaurante fundado por seus pais, Fortunée (1925-2009) e Roger Henry (1921-2005), o La Casserole não seria um ícone da gastronomia francesa na capital. A casa do Largo do Arouche atravessou décadas cheia de vitalidade e atraindo uma clientela que privilegia os clássicos. Onde mais provar o pernil de cordeiro com feijão-branco (R$ 82,00), que na França é chamado de gigot d’agneau aux soissons? Introduzida a pedido de Marie-France, a salada forestière (R$ 41,00), feita com um mix de cogumelos, vez ou outra pode vir sem o viço e a alegria de outra época. De tempos em tempos, entram em cartaz opções caprichadas de receitas no menu executivo (R$ 52,00), servidas no almoço de terça a sexta, como um formidável medalhão de filé ao molho de ostra com batata sardalaise, que merecia estar no cardápio regular.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.

    Comer e beber

    • 2019 - Participante

      Restaurantes - Franceses Comer&Beber .

      Se não fosse o empenho da proprietária Marie-France Henry em preservar a qualidade do restaurante fundado por seus pais, Fortunée (1925-2009) e Roger Henry (1921-2005), o La Casserole não seria um ícone da gastronomia francesa na capital. A casa do Largo do Arouche atravessou décadas cheia de vitalidade e atraindo uma clientela que privilegia os clássicos. Onde mais provar o pernil de cordeiro com feijão-branco (R$ 82,00), que na França é chamado de gigot d’agneau aux soissons? Introduzida a pedido de Marie-France, a salada forestière (R$ 41,00), feita com um mix de cogumelos, vez ou outra pode vir sem o viço e a alegria de outra época. De tempos em tempos, entram em cartaz opções caprichadas de receitas no menu executivo (R$ 52,00), servidas no almoço de terça a sexta, como um formidável medalhão de filé ao molho de ostra com batata sardalaise, que merecia estar no cardápio regular.

      Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

    • 2018 - Indicado

      Francês Comer e Beber .

      É sempre uma emoção entrar em um restaurante que ultrapassou a barreira das seis décadas e se mantém altivo, servindo boa comida num ambiente agradável. Ainda por cima, sendo esse ponto de resistência no centro, uma região tão degradada da capital. De pais para filha e agora para o neto Leo Henry, o bistrô oferece terrine de foie gras sobre brioche (R$ 91,00). Fora do menu, faz um caprichado filé à rossini (R$ 138,00), uma bela peça de carne alta e rosada por dentro sobre um brioche e coberto por um naco de foie gras selado. Informações checadas entre julho e setembro de 2018.

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2017 - Participante

      Restaurantes Franceses Comer & Beber .

      Num Largo do Arouche que deve passar por uma remodelação em breve, esta casa francesa mantém o charme dos antigos restaurantes familiares. Nas mãos da filha dos fundadores, continua a oferecer clássicos que emocionam o paladar. Típicos da Borgonha, os escargots chegam vibrantes de calor em molho de manteiga, alho e salsinha (R$ 66,00). O gigot d’agneau aux soissons é o pernil de cordeiro assado de cor rosada, fatiado na frente dos clientes e servido com feijões-brancos (R$ 72,00). Entre as receitas de ave, o parmentier de canard (R$ 62,00) tem a forma de um escondidinho à francesa, no qual a carne de pato desfiada abriga-se sob uma camada de purê de batata. Banhado por uma ótima calda de licor de laranja, o crepe suzette encerra a seleção de ótimos clássicos (R$ 26,00). Para não estragar uma refeição tão boa, evite o expresso Lavazza, com excessivo gosto da torra intensa dos grãos. (Preços checados em setembro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      Trata-se de um fenômemo paulistano, mas à francesa, é bom que se diga. O Casserole chega à terceira geração com características muito especiais. Inaugurado há 61 anos, ocupa o mesmo endereço e pertence à mesma família. A restauratrice Marie-France Henry divide a administração da casa com o filho mais novo, Leo, de 25 anos. Junto com a mãe, ele se prepara inclusive para abrir uma filial mais simples da casa francesa, lá mesmo no Largo do Arouche, no térreo de um prédio que começará a ser construído. No menu, eternizam-se clássicos feitos como il faut nos mais tradicionais restaurantes parienses. Um dos melhores é o gigot d’agneau (R$ 76,00), a perna de cordeiro rosada por dentro servida com um delicioso feijão-branco. Há receitas mais modernas, mas que entusiasmam menos, caso do lagostim no leite de coco e curry com arroz de jasmim ao tempero de ervas (R$ 88,00). Delicado, o crepe suzete (R$ 33,00) segue como um dos melhores da cidade. Deixa um aroma de laranja na boca ao fim da refeição. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Indicado

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      Um dos restaurantes mais singulares de São Paulo, que acaba de completar sessenta anos, pertence à mesma família desde a fundação. Quando foi inaugurado, em 1954, era chique morar e caminhar pelas ruas do centro. Os tempos mudaram, aquela região deteriorou-se, perdeu a poesia. Mas o Casserole continua inabalável, interpretando clássicas receitas francesas como versos de amor à cidade. Marie-France Henri, que herdou a casa dos pais, Fortunée e Roger, começa a dividir o comando com o filho Leo. Hoje, o jovem de 24 anos percorre as mesas perguntando aos clientes o que eles acharam da refeição. São sugestões como a fumegante sopa de cebola coberta por uma torrada (R$ 33,00) e versões de pato, caso do tradicional ao molho de laranja (R$ 62,00) e outra mais moderna do peito ao molho de tamarindo com minilegumes na manteiga de especiarias (R$ 69,00). Durante a semana, entra em cartaz um concorrido almoço executivo por R$ 49,50. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      Um dos endereços mais agradáveis da cidade deixa este trecho do centro ainda mais charmoso. Perto de completar sessenta anos, o restaurante é um destino seguro para quem aprecia a culinária francesa clássica, ainda que a proprietária Marie-France Henri sempre esteja empenhada em lançar alguma novidade, como a salada de espinafre em tamanho míni com camarão salteado e gomos de laranja (R$ 35,00). Onde mais provar a dobradinha francesa com o sonoro nome tripe à la mode de Caen (R$ 49,00)? Outro prato antigo e famoso da casa, o cassoulet (R$ 67,00) aparece aos fins de semana ou durante o inverno. Alto e macio, o minibolo de chocolate quente (não, não é um petit gâteau), vem regado por calda de licor de laranja e raspas da fruta mais um crocante de castanha-do-pará (R$ 21,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Participante

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      Aos quase sessenta anos, o charmoso bistrô demonstra um vigor incrível. Essa chama de vitalidade pode ser creditada à restauratrice Marie-France Henri, que ocupou o lugar deixado por seus pais, os fundadores do restaurante Fortunée e Roger Henri. Coube a ela renovar o cardápio sem o descaracterizar. Entre as pequenas e certeiras intervenções, como reduzir o nome de omeletes e introduzir saladas, inexistentes até a década de 90. A forestière, por exemplo, compõe-se de folhas verdes, cogumelos shimeji e shiitake quentes, nozes e amêndoa. Caem bem qualquer uma das receitas clássicas na sequência. Em poucos lugares se encontrará um gigot d’agneau feito com mais brilho. Este pernil de cordeiro de interior rosado é fatiado diante dos clientes e recebe a companhia de feijão-branco. Intitulado filé henri IV, o corte alto de carne recebe uma generosa quantidade de molho béarnaise e batata suflê. O sommelier Sebastião Martins responde pela seleção de rótulos, entre os quais o francês tinto Château Petit Renouil 2005, de importação própria.

      Veja SP

    • 2011 - Participante

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2011/2012

      Veja SP

    • 2010 - Indicado

      Restaurantes franceses Comer & Beber .

      A restauratrice Marie-France Henri sabe levar com bravura o trabalho iniciado por seus pais, Fortunée e Roger Henri, há mais de cinco décadas. Lotado quase todos os dias, o restaurante atrai pela qualidade e regularidade de seus clássicos, preparados por Antônio Jerônimo da Silva. Um deles é a perna de cordeiro assada, da qual se retiram fatias úmidas e vermelhas para ser saboreadas na companhia de feijão-branco. Em busca de novidades, a proprietária pede à segunda chef da casa, Beatriz Périssé, que proponha novidades. Duas delas: fricassê de coelho ao molho de vinho branco e mostarda em grãos guarnecido de risoto de parmesão com agrião e peito de pato no molho de tamarindo junto de minilegumes passados na manteiga de especiarias. A carta de vinhos está nas mãos do sommelier Sebastião Martins, o Tom. Entre os tintos, ele indica o francês Château de Lugagnac 2006 e o nacional Don Laurindo Merlot Reserva 2005.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá,

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google

    Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s