Sabiá (Desde 2007)

Tipos de Bares: Botecos
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Purpurina, 370 - Vila Madalena - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30321617
Horário:
segunda-feira
Fechado
terça-feira
19:00 - 01:00
quarta-feira
19:00 - 01:00
quinta-feira
19:00 - 03:00
sexta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 01:00
sábado
12:30 - 03:00
domingo
12:00 - 17:00
monetization_on

Faixa de preço

De R$71,00 a R$105,00

payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (70)

Resenha por Saulo Yassuda e Fábio Galib

É um dos botecos mais agradáveis da Vila Madalena. Os janelões, a iluminação baixa e o cardápio bem cuidado respondem pela primazia do lugar, assim como o chope da Eisenbahn bem tirado (R$ 10,00 o pilsen). Outro item bom de bebericar é o cosmopolitan feito com suco de tangerina no lugar do de cranberry (R$ 28,00). Homenagem ao Bar do Luiz Fernandes, na Zona Norte, o bolinho do luiz é bem saboroso, mas só peça se não tiver medo de carne crua no interior (R$ 39,00 o quarteto). Novidade digna de nota, o escondidinho de quiabo ao dendê e purê de inhame é uma delícia (R$ 22,00).

Preços checados em setembro de 2017.

     

    Comer e beber

    • 2017 - Participante

      Botecos Comer & Beber .

      É um dos botecos mais agradáveis da Vila Madalena. Os janelões, a iluminação baixa e o cardápio bem cuidado respondem pela primazia do lugar, assim como o chope da Eisenbahn bem tirado (R$ 10,00 o pilsen). Outro item bom de bebericar é o cosmopolitan feito com suco de tangerina no lugar do de cranberry (R$ 28,00). Homenagem ao Bar do Luiz Fernandes, na Zona Norte, o bolinho do luiz é bem saboroso, mas só peça se não tiver medo de carne crua no interior (R$ 39,00 o quarteto). Novidade digna de nota, o escondidinho de quiabo ao dendê e purê de inhame é uma delícia (R$ 22,00). (Preços checados em setembro de 2017).

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    • 2016 - Vencedor

      Bares botecos Comer & Beber .

      Uma agradável atmosfera boêmia encanta quem visita o Sabiá. O chão de ladrilhos e a iluminação baixinha, misturada à luz da rua filtrada pelos janelões, dão aquela imagem de sossego que a Vila Madalena perdeu por aí. A calmaria só é rompida pelo ruído da freguesia, contente em tomar um chope tirado no ponto (Eisenbahn Pale Ale R$ 10,00) e saborear as receitas que Graziela Tavares traz da cozinha. “Faço comida caseira”, conta a chef, desde 2011 na sociedade junto dos irmãos Leonardo e Stefânia Gola. Hipermacia, a língua bovina em fatias ao molho de vinho, com arroz e um sedoso purê de mandioquinha (R$ 40,00), é apenas um dos preparos cada vez mais apurados de forma deliciosamente simples no botequim. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    • 2015 - Participante

      Bares botecos Comer & Beber .

      Faz tempo que a Vila Madalena virou um reduto oba-oba, de gente jovem em busca de pegação. Mas o espírito papo-cabeça pelo qual o bairro já foi conhecido ainda pode ser encontrado em alguns redutos por lá. É o caso deste boteco de esquina, em que uma caricatura do cineasta Woody Allen figura na porta do banheiro masculino. Quer algo mais cult? O salão, arejado por janelões, tem pisos antigos e iluminação amena, e acolhe um pessoal com mais de 30 anos de pegada culturete. Enquanto se trocam ideias, são esvaziadas caldeiretas de chope Eisenbahn tirado na medida, entre eles o amarguinho no estilo pale ale (R$ 9,00). A caipirosca feita com um mix de uvas (R$ 22,00) cumpre seu papel, embora tenha faltado um pouco de fruta no conjunto. Sob a supervisão da chef e sócia Graziela Tavares, a cozinha manda bem em petiscos como o fuá da grá (R$ 40,00). A porção de nome engraçadinho traz fígado de galinha ao vinho do Porto com pimenta-verde e suco de laranja mais raspas da fruta, que garantem o frescor. Experimente umedecer a broa portuguesa no molho, uma delícia. Com uma agradável crosta de parmesão, o escondidinho (R$ 24,00) leva, no meio do purê de mandioquinha de textura quase líquida, uma boa linguiça artesanal. No início do ano, o endereço deixou de abrir às segundas e para o almoço nos dias úteis, porém passou a dar expediente aos domingos. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Saulo Yassuda

    • 2014 - Participante

      Bares botecos Comer & Beber .

      Cercado de janelões, o boteco está sempre movimentado, com presença garantida de um pessoal ligado às artes e às comunicações. Um belo painel gráfico de temática urbana, feito pelo artista Sergio Fabris, decora uma das paredes. o endereço cativa a clientela pelo chope bem tirado, da Eisenbahn, nas versões claro, pale ale e trigo (R$ 7,00 cada um). As caipirinhas também saem no capricho, especialmente a de limão-cravo, caju e melaço de gengibre (R$ 18,00). No comando da cozinha, a chef Graziela Tavares faz bonito. Ela incluiu algumas gostosuras no menu, como o tentador sanduíche de língua bovina (R$ 24,00). Fatias dessa carne defumada recheiam um pão de casca durinha na companhia de queijo da Serra da Canastra, pepino em conserva, cebola-roxa e mostarda em grãos. Querido da clientela, o bolinho do luiz (R$ 25,00, quatro unidades), criado em homenagem ao quitute do Bar do Luiz Fernandes, na Zona Norte, é feito com patinho moído e temperado, tem interior vermelho e casquinha crocante. Venceu como o melhor petisco da cidade na última edição do COMER & BEBER. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Saulo Yassuda

    • 2013 - Vencedor

      Bares petisco Comer & Beber .

      Patinho bem moído, limpo e sem gordura. Cebola picada em cubinhos, alho esmagado, pimenta dedo-de-moça, cebolinha, salsinha, pão umedecido com molho rôti, sal e pimenta-do-reino. E nada mais. Misture tudo muito bem e faça bolas do tamanho de um ovo de pata. Frite-as em imersão por aproximadamente um minuto. Pronto. Simples assim e muito, mas muito bom. A casquinha é seca, crocante e contribui com o sabor da carne queimadinha. No interior, a textura da carne crua faz carinho no céu da boca enquanto os temperos agem e deixam o cliente feliz. Esse é o bolinho do luiz (R$ 25,00, quatro unidades), preparado pela chef Graziela Tavares,do bar Sabiá, que por toda essa complexa simplicidade não teve concorrentes à altura — e olhe que foram provados petiscos diversos nos 200 bares visitados desta edição. Ele nasceu como uma homenagem à lendária receita criada pelo casal Luiz Fernandes e Dona Idalina, do Bar do Luiz Fernandes, no condado do Mandaqui, o campeão do melhor bolinho na última edição do especial “Comer & Beber”. Eis um raro exemplo no qual o pupilo superou o mestre. Com os bolinhos à sua frente, peça um chope (Eisenbahn, R$ 5,80) e deixe seu sistema sensorial pronto para a próxima onda de sabor. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Luiz Henrique Ligabue e Marcelo Cobra

    • 2012 - Indicado

      Bares botecos Comer & Beber .

      Dos mesmos donos do Ó do Borogodó, em Pinheiros, o boteco conquista pela simplicidade e pela cozinha. Minimalista, seu salão impacta justamente por ter poucos elementos cênicos. Destaca-se uma das paredes, coberta por um painel gráfico em preto e branco do artista Sergio Fabris. À frente das panelas, a chef Graziela Tavares apresenta sugestões como o caldinho de abóbora com um discreto toque de curry e gengibre; a moela e a língua cozidas; e marinada de abobrinha laminada, servida com torradinhas de broa portuguesa. Dos pratos, vale provar o peixe amazônico no pappilote. Traz uma posta de filhote ou pirarucu em crosta de castanha-do-pará, assada no forno com legumes. Acompanha cumbucas de arroz branco e farofa de banana. Para beber, há o bom chope da Eisenbahn, nas versões claro e pale ale.

      Veja SP

    • 2012 - Indicado

      Bares bolinho Comer & Beber .

      Dos mesmos donos do Ó do Borogodó, em Pinheiros, o boteco conquista pela simplicidade e pela cozinha. Minimalista, seu salão impacta justamente por ter poucos elementos cênicos. Destaca-se uma das paredes, coberta por um painel gráfico em preto e branco do artista Sergio Fabris. À frente das panelas, a chef Graziela Tavares apresenta sugestões como o caldinho de abóbora com um discreto toque de curry e gengibre; a moela e a língua cozidas; e marinada de abobrinha laminada, servida com torradinhas de broa portuguesa. Dos pratos, vale provar o peixe amazônico no pappilote. Traz uma posta de filhote ou pirarucu em crosta de castanha-do-pará, assada no forno com legumes. Acompanha cumbucas de arroz branco e farofa de banana. Para beber, há o bom chope da Eisenbahn, nas versões claro e pale ale.

      Veja SP

    • 2011 - Participante

      Bares botecos Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2011/2012

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s