Arola Vintetres

Tipos de Restaurantes: Espanhóis
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Alameda Santos, 1437 - 23º andar (Hotel Tivoli São Paulo — Mofarrej) - Cerqueira César - São Paulo - SP ver no mapa
Horário:
Estabelecimento fechado

    Comer e beber

    • 2015 - Participante

      Restaurante espanhóis Comer & Beber .

      Alguns detalhes evidenciam o ímpeto criativo do chef catalão Sergi Arola, sua marca registrada. São os interessantes petiscos de boas-vindas do couvert, como o macaron salgado de azeitona e o coquetel sem álcool de água de melancia. No que diz respeito ao cardápio, porém, não se veem tantas novidades como era de esperar de um endereço espanhol contemporâneo. Fazem sucesso entre as tapas frias a salada de bonito em cubos com batata e verduras em emulsão de maionese (R$ 46,00) e o tartare de filé-mignon com crocante de cebola, molho de soja e gengibre (R$ 39,00). Para dividir porções quentes, fique nas infalíveis batatas-bravas em formato cilíndrico, com pronunciado sabor de alho (R$ 36,00), e nas asinhas de frango bem apimentadas ao molho de iogurte (R$ 35,00). Depois de tantas entradinhas, vale dividir em dois o prato principal, como o porco ibérico confitado com abacaxi, endívia, purê de batata e pancetta (R$ 76,00). Trunfo do salão: a bela vista panorâmica da cidade a partir do 23º andar do Hotel Tivoli Mofarrej. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurante espanhóis Comer & Beber .

      Este posto avançado do chef catalão Sergi Arola fica no o 23º andar e oferece uma vista magnífica da cidade. Encantam versões de entradas típicas como ajo blanco, um creme frio de amêndoa e alho com frutas confitadas e pesto de manjericão (R$ 28,00), e o gaspacho, a sopa fria de tomate, pepino e pimentão (R$ 26,00). Também continuam de primeira as batatas bravas na forma de cilindros crocantes e apimentados (R$ 36,00). Pratos que já tiveram grande brilho no passado, como o arroz de lagosta (R$ 58,00), por vezes não são feitos com a mesma inspiração. Para apresentar a carta de vinhos, falta um sommelier como os que já passaram pela casa, entre eles Yugo Miyashita. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes espanhóis Comer & Beber .

      Ao chegar ao hotel, é preciso tomar o elevador espelhado até o 23º andar, onde está instalada esta filial paulistana do chef catalão Sergi Arola. Observar lá do alto o skyline paulistano embalado pela trilha elegante do salão já faz o visitante se sentir especial. Para oferecer uma comida à altura da ambientação, Arola confiou a cozinha no dia a dia ao italiano Fernando Coradazzi. Ele repete a receita das famosas batatas bravas à risca: recheadas com um toque de molho picante e bastante maionese de alho (R$ 36,00). Deliciosa, a berinjela defumada com pinhole tostado e redução de vinagre balsâmico (R$ 28,00) perde pontos apenas pelo tamanho diminuto da porção. Passadas as tapas, as sugestões principais vão de um delicado arroz primavera com legumes (R$ 48,00) até o camarão no seu próprio molho com batata bolinha e avelã (R$ 60,00). Longe da redundância, a sobremesa de chocolate em cinco texturas (R$ 28,00) agrada. A cara carta de vinhos abrange também opções em taça, como o espanhol rosé Ribera del Duero 2012 (R$ 35,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Indicado

      Restaurantes espanhóis Comer & Beber .

      Eleito o melhor de sua categoria em 2011 e contemplado nesta edição com 1 voto, é uma embaixada dos restaurantes do catalão Sergi Arola, que mantém casas em metrópoles espanholas como Madri e Barcelona, além de uma sucursal portuguesa na região de Sintra. Até o início de junho de 2012, a cozinha era tocada pelo paulistano Fábio Andrade, que já havia trabalhado sob o comando dele no país ibérico. Em agosto de 2012, os fogões passaram a ser pilotados pelo italiano Fernando Coradazzi. Comece pelas tapas, asinhas de frango fritas para serem mergulhadas em molho de tomate picante e creme de iogurte. Da lista de pratos principais, a paleta de cordeiro em três pequenas peças recebe molho de sabor intenso da própria carne e tabule de minivegetais de guarnição. Disposto sobre lâminas de cogumelo na manteiga, o filé-mignon chega em corte alto e no ponto solicitado. Na adega estão concentrados rótulos de várias partes do mundo. Entre os espanhóis, há de garrafas mais simples, como o Emina Tinto Fino Roble 2009, ao top Vega Sicilia Único Gran Reserva 2000.

      Veja SP

    • 2011 - Vencedor

      Restaurantes espanhóis Comer & Beber .

      Há quase dois anos, o chef catalão Sergi Arola abriu esta sucursal de seus restaurantes espanhóis com grande êxito. Para tocar o dia a dia da cozinha, ele escolheu o paulistano Fábio Andrade, que já tinha trabalhado sob sua orientação em Madri. O cardápio da casa, premiada pela primeira vez como o melhor espanhol, concentra-se em duas linhas de porções, as tapas e os pratinhos — receitas em pequenas quantidades, indicadas para partilhar. Parte da oferta evoca o mar, inclusive os pastéis à brasileira de paladar ibérico. É o caso da versão recheada de polvo temperado de páprica com batata. Os produtos da fazenda são bem representados pela deliciosa tapa em forma de ravióli recheada de rabo de boi wagyu, do qual se extrai o kobe beef, e pela barriga de porco de pele crocante e carne macia servida na companhia de purê de abóbora japonesa misturado a manga. Da cara e extensa seleção de vinhos, destacam-se exemplares como os tintos espanhóis Alaia 2005 e Contador 2007. A sommelière Jô Barros, que deixou o Dui em agosto, tornou-se a nova responsável pela carta, junto de Yugo Miyashita.

      Veja SP

    • 2011 - Indicado

      Vinhos sommelier do ano Comer & Beber .

      Há quase dois anos, o chef catalão Sergi Arola abriu esta sucursal de seus restaurantes espanhóis com grande êxito. Para tocar o dia a dia da cozinha, ele escolheu o paulistano Fábio Andrade, que já tinha trabalhado sob sua orientação em Madri. O cardápio da casa, premiada pela primeira vez como o melhor espanhol, concentra-se em duas linhas de porções, as tapas e os pratinhos — receitas em pequenas quantidades, indicadas para partilhar. Parte da oferta evoca o mar, inclusive os pastéis à brasileira de paladar ibérico. É o caso da versão recheada de polvo temperado de páprica com batata. Os produtos da fazenda são bem representados pela deliciosa tapa em forma de ravióli recheada de rabo de boi wagyu, do qual se extrai o kobe beef, e pela barriga de porco de pele crocante e carne macia servida na companhia de purê de abóbora japonesa misturado a manga. Da cara e extensa seleção de vinhos, destacam-se exemplares como os tintos espanhóis Alaia 2005 e Contador 2007. A sommelière Jô Barros, que deixou o Dui em agosto, tornou-se a nova responsável pela carta, junto de Yugo Miyashita.

      Veja SP

    • 2010 - Indicado

      Restaurantes espanhóis Comer & Beber .

      Um dos chefs mais arrojados em atuação na Espanha, Sergi Arola abriu a casa em novembro de 2009. Por manter restaurantes em seu país e também na cidade portuguesa de Sintra, delegou a execução das receitas a Fábio Andrade, com quem havia trabalhado em Madri. Os resultados obtidos pelo braço direito de Arola são admiráveis. No menu, predominam as pequenas porções chamadas tapas, feitas para partilhar. Das chamadas especialidades da horta, encantam as batatas bravas cortadas na forma de cilindro, fritas e recheadas de molho de tomate picante e maionese de alho, assim como a berinjela assada salpicada de pinholes tostados e redução de vinagre balsâmico. A esqueixada, típica salada de bacalhau, ganha a forma de um carpaccio. No rolinho de polvo feito de massa filo, há, porém, um excesso de castanha-do-pará que empana o sabor do molusco. De prato principal, a novidade é o delicioso fideuà de lula. Essa versão da paella, tradicionalmente feita de um espaguete curto, leva macarrão em forma de arroz. Bom trio de crema catalana (pistache, laranja e gengibre) dá brilho ao fim da refeição. A ótima e cara carta de vinhos foi montada pelo sommelier Yugo Miyashita. Elegante, o serviço no salão é conduzido pelo maître Otávio Tolosa.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá,

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google

    Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s