Clique e assine com até 89% de desconto

Artista israelense destrói Templo de Salomão em vídeo

Trabalho fará parte da 31ª Bienal de São Paulo. Assista a um trecho do vídeo

Por Laura Ming Atualizado em 5 dez 2016, 14h09 - Publicado em 26 ago 2014, 18h43

Antes do Templo de Salomão, construído pela Igreja Universal do Reino de Deus no Brás, existiram outros dois em Jerusalém. O primeiro foi destruído em 584 a.C. e o segundo, em 64 d. C, dando origem ao atual Muro das Lamentações. Quando soube que um terceiro templo seria erguido no Brasil, a artista israelense Yael Bartana decidiu fazer um filme que simulasse a demolição dele, como se fosse uma repetição profética do passado.

+ Público é convidado a colar chiclete sobre escultura no centro paulistano

+ Artista mexicano transforma armas em instrumentos musicais

A diretora visitou as obras no ano passado e, no galpão de uma escola de samba, reproduziu seu interior em detalhes. Com efeitos visuais feitos em computador, finalizou sua história. O resultado é a ficção Inferno, de 22 minutos, na qual se vê o templo pegando fogo,  desmoronando completamente e dando lugar – tal como o original – a um grande paredão onde as pessoas vão rezar, no meio da cidade.

O vídeo fará parte da 31ª Bienal de São Paulo que abre 6 de setembro. A exposição terá como tema a influência da arte sobre o mundo. Foram realizadas diversas residências artísticas no país e o resultado é que a capital paulista aparecerá em muitos trabalhos.

Assista a um trecho da obra:

 

Continua após a publicidade
Publicidade