Clique e assine com até 89% de desconto

SPFW institui cota para presença de modelos negros e indígenas

Evento comemora 25 anos na próxima semana. Cota mínima já é válida para a edição de 2020

Por Redação VEJA São Paulo 30 out 2020, 14h29

A São Paulo Fashion Week começa na próxima semana, com desfiles que serão transmitidos de forma virtual, pelo YouTube. A principal semana de moda do país adotou uma nova regra para as marcas que participam do evento: nas passarelas, ao menos 50% dos modelos devem ser “negros, afrodescendentes ou indígenas“.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a decisão foi compartilhada com as marcas por meio de um comunicado e é válido para os desfiles deste ano, que comemoram os 25 anos do evento. De acordo com o texto, “serão considerados modelos afrodescendentes aqueles com ascendente por consanguinidade até o 2º grau. Os nomes destes modelos devem ser destacados na lista de casting”.

“Não estamos aqui para julgar ninguém. Esses são processos colaborativos e não queremos forçar mudanças. Mas é claro que as marcas que não queiram compartilhar dessas discussões sairão do calendário por elas mesmas. Chegamos no ponto de deixar de criar frases e passamos a partir para a ação”, disse o idealizador do evento, João Borges.

+LEIA MAIS

Prefeitura adia mais uma vez entrega do Anhangabaú, prometido para esta sexta (30)

Brasileira é uma das vítimas do ataque em igreja de Nice, na França

Os Mooquensers: moradores apaixonados do bairro mais bairrista da cidade

Um canalha, às vezes, é só um canalha, diz escritora de Bom Dia, Verônica

Continua após a publicidade
Publicidade