33ª Bienal divulga lista parcial de artistas

Edição, com início previsto para 7 de setembro, já tem doze nomes confirmados

A 33ª edição da Bienal de Artes de São Paulo anunciou parte dos nomes que vão integrar a exposição. A lista conta com doze artistas. No rol de homenageados, estão o guatemalteco Aníbal López (1964-2014), o paraguaio Feliciano Centurión (1962-1996)  e a brasileira Lúcia Nogueira (1950-1998). Siron Franco exibe uma série histórica enquanto oito artistas desenvolvem projetos comissionados. Nessa última seleção, estão o carioca Nelson Félix, o catarinense Bruno Moreschi e as paulistas Vânia Mignone e Denise Milan (veja lista completa no final da matéria).

Nas seções dedicadas à López, Centurión e Nogueira, haverá  de 30 a 40 obras de cada artista. A escolha dos referidos nomes, de acordo com o curador-chefe da mostra, o espanhol Pérez-Barreiro, remete à reflexão sobre os ditos núcleos históricos, vistos na exposição até a sua 26ª edição, em 2004. No conjunto dos comissionados, cabe dizer que há uma diversidade de linguagens que vão desde pinturas e instalações até obras que fogem dos suportes tradicionais.

POR DENTRO DA BIENAL

Em 2018, a Bienal ocorre de 7 de setembro a 9 de dezembro, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo, no Parque Ibirapuera. Ao contrário do que  usualmente acontece, a equipe de Pérez-Barreiro não é composta por  profissionais especializados em curadoria, mas sim por sete artistas. São eles: o carioca Waltercio Caldas, a paulista Sofia Borges, a argentina Claudia Fontes, a sueca Mamma Andersson, a americana Wura-Natasha Ogunji, o uruguaio Alejandro Cesarco e o espanhol Antonio Ballester Moreno.

Na exposição, cada um dos sete organizadores terá sob sua responsabilidade um núcleo. A articulação dessas “pequenas mostras” será orientada pela ideia de arquipélago. Em entrevista à VEJA SP no final de 2017,Álvaro Razuk, arquiteto responsável pela expografia, explicou um pouco sobre a proposta: “Entre eles, há espaços que não acontecem nada. Isso é bom para o público circular no lugar e perceber que saiu de uma experiência e está indo para outra”.

Diferente das outras edições, a Bienal de 2018 não terá um tema norteador. Peréz-Barreiro optou por escolher somente um título. A mostra será chamada Afinidades Afetivas, expressão que traz referências ao romance de Goethe, Afinidades Eletivas, de 1809, e à tese Da Natureza Afetiva da Forma na Obra de Arte, de 1949, do crítico, jornalista e professor Mário Pedrosa. 

 

 

LISTA PARCIAL DE ARTISTAS DA 33ª BIENAL

1- Homenageados:

– Lucia Nogueira
– Aníbal López
-Feliciano Centurión

2- Projetos individuais

– Siron Franco (pintura)
– Denise Milan (escultura e instalação)
– Vania Mignone (vídeos e pinturas)
– Maria Laet (vídeos e pinturas)
– Tamar Guimarães (vídeo)
– Nelson Félix (instalação)
– Bruno Moreschi (trabalhos que fogem de suportes tradicionais)
– Luiza Crosman (trabalhos que fogem de suportes tradicionais)
– Alejandro Corujeira (pinturas e escultura)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s