Clique e assine por apenas 6,90/mês

COMER & BEBER 2016/2017: casas de chá

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Fábio Galib, Jennifer Detlinger e Mônica Santos - Atualizado em 27 Dec 2016, 15h10 - Publicado em 21 Oct 2016, 23h00

A edição especial VEJA COMER & BEBER São Paulo reúne 200 endereços de comidinhas. Abaixo, a seleção das casas de chá.

Bistrô Ó-Chá: o ambiente tem um quê de Oriente, mas trata-se de uma casa de chás de origem portuguesa. Entre verdes, pretos, brancos e infusões, há perto de setenta composições de ervas, sempre suficientes para compartilhar. Bem aromático, o chá-verde aromatizado com cereja japonesa custa R$ 14,00. Para acompanhar, vale pedir a torrada com espinafre, queijo gruyère gratinado e ovo poché (R$ 20,00) — pena que esse último nem sempre venha com a gema mole. Os doces são escolhidos no balcão, caso do quatro estações, brownie com geleia de frutas vermelhas (R$ 12,00).

A Loja do Chá — Tee Gschwendner: uma das grandes especialistas em chás do país, a gaúcha Carla Saueressig comanda a unidade paulistana da rede de origem alemã. Quem procura sabores mais intensos pode recorrer ao bule do chá vermelho Pu Erh (R$ 29,00), proveniente da China e envelhecido por sete anos. A pedida rende até três xícaras. Bem mais suave, o verde frutado é acrescido de cassis, amora, maçã, uva-passa, mirtilo e hibisco (R$ 8,70 a xícara). Para acompanhar, chamam atenção os bolos altos. Melhor pedida, contudo, é a trivial tigela de biscoitinhos doces ricos em especiarias (R$ 17,00).

Talchá: em comum as três unidades da marca funcionam em shoppings e dispõem de simpáticas atendentes, que ajudam na escolha do chá — são mais de oitenta opções dele. O da nina é uma infusão com cereja, cranberry, kiwi, maçã e flocos de coco, enquanto o citrus panda corresponde ao chá verde com a adição de laranja e limão-siciliano (R$ 8,90 a xícara de cada um). As bebidas podem ser pedidas no combo paulista, com um tostex de queijo de minas, um brioche, um brownie e uma fatia de bolo. Custa R$ 56,90 e dá para dois.

Continua após a publicidade

+ Os melhores endereços para tomar café

Tea Connection: cada vez mais, o endereço fica com pinta de restaurante. Isso acontece sobretudo à noite, quando entram em cena pratos como o salmão grelhado acompanhado de salada de rúcula, com cogumelo-de-paris, tomate e nozes (R$ 56,00). A casa de matriz argentina, contudo, não abre mão de sua vocação original. A fornida carta de chás traz sugestões como o aromático lemon flower (R$ 13,00), uma infusão levemente cítrica à base de rooibos com flores de jasmim e capim-limão. Da lista das chamadas safras únicas, o silver needles (R$ 15,00) é um chá-branco suave e cheio de frescor.

Teakettle: é preciso tocar o sino e aguardar o funcionário abrir o portão. Lá dentro, o ambiente é rústico e a música, suave. Há cerca de 150 variedades de chá e, para auxiliar na escolha, é levada à mesa uma bandeja com pequenos frascos de amostras das infusões. O black tea lemon, chá preto com limão, é opção mais cítrica, assim como o perfumado lovers mint, um branco com menta e laranja. Eles podem ser servidos sozinhos, em bules de 250 mililitros (R$ 7,00), ou compor um combinado como o cambridge (R$ 48,00), com cestinha de pães, geleia, queijo brie e fatia de bolo.

The Gourmet Tea: são cinco as unidades da marca, a mais recente delas um quiosque no Shopping Eldorado. As grandes estrelas, é claro, são as infusões, dispostas em latinhas coloridas sobre o balcão. Há 38 delas, cultivadas de maneira orgânica, sobretudo na China e na Índia. Podem-se levar os potes para casa ou pedir a bebida para tomar ali mesmo. Agrada a combinação de chá-verde e menta marroquina, cheia de frescor, a R$ 9,00 (220 mililitros). Se a ideia é adoçar o dia, tem crumble de maçã servido morninho, que pode ganhar sobre ele uma bola de sorvete de baunilha (R$ 19,00).

Continua após a publicidade

+ Comidinhas: os eleitos de VEJA COMER & BEBER 2016/2017

Publicidade