Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Diretor da novela “O Outro Lado do Paraíso” comenta críticas

Mauro Mendonça Filho falou no Twitter sobre a história de Lara, a "cura" da juíza Raquel e até sobre a personagem da atriz Juliana Caldas, Estela

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 9 fev 2018, 15h14 - Publicado em 9 fev 2018, 14h05

Mauro Mendonça Filho, diretor de O Outro Lado do Paraíso, conversou com alguns dos seus mais de 130 000 seguidores no Twitter na noite desta quinta (8). No diálogo, ele reconheceu alguns problemas que estão sendo apontados no texto da novela, de Walcyr Carrasco, e disse também concordar com algumas críticas. As informações são do colunista Maurício Stycer.

Uma das maiores polêmicas de O Outro Lado do Paraíso é a história de Laura, interpretada por Bella Piero. Ela foi abusada sexualmente na infância pelo padrasto, o delegado Vinícius, interpretado pelo paulistano Flávio Tolezani — clique aqui para ler um bate-papo com o ator em VEJA São Paulo. Ela está superando o trauma com a ajuda de uma advogada, que também é “coach” e submeteu a jovem a sessões de hipnose. A abordagem foi criticada por diferentes associações de psicólogos.

O diretor concorda com as críticas das instituições: “Acho que faltou a Adriana chamar um psicólogo ao invés de ela fazer“, disse. Ele, no entanto, acredita que a falha não tira o valor da trama. “Mas isso não tira o valor do que é mais importante: a denúncia da pedofilia“. 

Continua após a publicidade

A cura da juíza Raquel, papel de Erika Januza, também foi questionada pelos seguidores. Atropelada, ela sofreu danos irreparáveis na coluna e perdeu os movimentos das pernas — mas uma intervenção divina da vidente Mercedes, Fernanda Montenegro, levou a juíza a voltar as sentir os membros. Um seguidor disse que a cena foi “emocionante”, mas Mendonça Filho respondeu: “É… mas confesso que não concordo com a cena. Tenho uma filha cadeirante. Se tem alguém que sabe que não rola milagre sou eu“.

Mauro Mendonça Filho também recebeu críticas sobre a forma como Walcyr Carrasco está tratando a história de Estela, interpretada por Juliana Caldas: “Ela é formada, morou fora, mas virou uma pobre coitada que pedente de outra para falar por ela, ela não teria força e poderia superar sem ser vitimizada?“, questionou. “Tá todo mundo trabalhando para melhorar isso“, rebateu o diretor.

Dê sua opinião: E você, o que achou das respostas de Mauro Mendonça Filho? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês