Imagem Blog

Blog do Lorençato

Por Arnaldo Lorençato
O editor-executivo Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há mais de 30 anos. De 1992 para cá, fez mais de 16 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista é professor-doutor e leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie
Continua após publicidade

Vem aí a Rosticceria La Quottidiana, do chef Sergio Arno

Não é só no circuito Jardins-Itaim-Vila Madalena que se encontra boa mesa em São Paulo. O chef Sergio parece ter acertado na mosca ao levar sua grife para o Campo Belo e abrir o La Quottidiana em parceria com o empresário Claudio Vieira de Moraes, dono do Othelo, que fica na vizinhança. Em funcionamento desde […]

Por Arnaldo Lorençato Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 fev 2017, 10h37 - Publicado em 31 Maio 2013, 01h10

Arno e o sócio Vieira de Moraes na nova rotisseria: “Devemos abrir no dia 20 com cerca de oitenta produtos” (Foto: divulgação)

Não é só no circuito Jardins-Itaim-Vila Madalena que se encontra boa mesa em São Paulo. O chef Sergio parece ter acertado na mosca ao levar sua grife para o Campo Belo e abrir o La Quottidiana em parceria com o empresário Claudio Vieira de Moraes, dono do Othelo, que fica na vizinhança. Em funcionamento desde o início de março, a casa é uma das boas estreias do ano. Inicialmente além de refeições à la carte, funcionaria também como rotisseria.

Entretanto, o sucesso foi tão grande que Arno e o sócio transferiram a loja de comidas e vinhos para um imóvel do outro lado da rua. “Ocupamos o ponto onde antes funcionava uma loja de roupas que quebrou, na esquina da Jesuíno Maciel com a Barão de Jaceguai”, conta Arno entusiasmado. “Já está quase pronto e devemos abrir com folga no dia 20.” A nova casa se chamará La Quottidiana Rosticceria (Rua Doutor Jesuíno Maciel, 735) e o restaurante assume o nome de La Quottidiana Trattoria.

Como o antigo sobrado residencial havia sido todo reformado, a dupla de empreendedores só precisou investir em equipamentos, móveis e pintura. “Foi coisa pouca, cerca de 60 mil reais”, contabiliza Arno.

O saboroso polpettone: agora para levar (Foto: Fernando Moraes)

Continua após a publicidade

No novo ponto, estarão à venda massas secas e frescas de produção própria, molhos variados, pratos prontos como polpettone e outras carnes, tudo distribuídos por charmosas prateleiras de madeira, freezer e expositores. Também haverá uma seção para vinhos.

Aos fins de semana, contará ainda com uma dessas grelhas elétricas conhecidas como televisão de cachorro para assar frango. Serão cerca de oitenta produtos, a maioria de marca própria. Enquanto esperam, os clientes terão à disposição ainda uma área reservada para um pequeno café.

“Teremos dezoito lugares a mais no restaurante. Serão quase 100 agora”, comemora Vieira de Moraes. “Assim, poderemos atender o público que não quer esperar no fim de semana.” Por mês, o restaurateur calcula que 3.600 pessoas passem pelas mesas da casa.

Massa de fabricação própria: atração da rotisseria (Foto: divulgação)

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.