Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Vaca magra faz oposição ao touro de ouro em nova ação em frente à B3

Intervenção urbana da artista Márcia Pinheiro exibe animal esquálido, símbolo da seca e da fome

Por Redação VEJA São Paulo 9 dez 2021, 11h14

Uma vaca magra em tons de amarelo foi instalada em frente à Bolsa de Valores de São Paulo, no centro da capital paulista, na manhã desta quinta-feira (9). A escultura é de Márcia Pinheiro, artista cearense, e faz referência ao touro de ouro da B3, que causou polêmica em novembro.

A estátua de 1 tonelada e 5 metros de comprimento havia sido feita por Rafael Brancatelli e foi inaugurada em 16 de novembro. Horas depois da instalação, o touro virou alvo de protestos e memes na internet e culminou com a retirada da escultura do local.

De acordo com a prefeitura, a ação feria a Lei Cidade Limpa. Também não havia permissão da CPPU para a instalação da estátua no local.

A intervenção urbana Vacas Magras acontece já há algum tempo. Em 2017, houve uma exposição de 10 esculturas em tamanho real, feitas de fibra de vidro e resina, no campus da Unifor, em Fortaleza.

“As vacas têm a função de sensibilizar as pessoas e aproximá-las da realidade enfrentada pelos moradores do interior. Realidade essa que está próxima de nós, mas muitas vezes é esquecida”, explicou a artista ao site da universidade. 

Continua após a publicidade

Publicidade