Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Suspeito de ser mentor de roubo no aeroporto de Guarulhos é preso

Conhecido como "Véio", Francisco Teotônio da Silva Pasqualini é um dos seis réus do crime milionário

Por Redação VEJA São Paulo 11 jan 2020, 14h38

Na madrugada deste sábado (11), a Polícia Civil localizou e prendeu o homem suspeito de ter esquematizado o roubo de 760 quilos de ouro no terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, que ocorreu em julho de 2019. Francisco Teotônio da Silva Pasqualini, conhecido como “Véio”, foi preso em São Caetano do Sul, no ABC Paulista.

A operação aconteceu enquanto policiais civis da 6ª Delegacia de Investigações sobre Narcóticos (Dise), do Denarc (Divisão Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico), buscavam um suspeito de tráfico em Heliópolis, na Zona Sul.

Segundo o G1, imagens obtidas pela investigação mostram o homem chegando para uma reunião, um dia antes do crime, com outros integrantes do assalto. Segundo a polícia, o encontro tinha a finalidade de planejar o crime.

Outros quatro suspeitos de atuar no roubo já foram presos: Peterson Brasil, Célio Dias, que trabalhava no estacionamento, Peterson Patrício, supervisor de segurança da concessionária, e um homem cujo apelido é “Capim”.

Roubo milinonário

Após usar veículos que imitavam carros da Polícia Federal para entrar na área de embarque de cargas do aeroporto, a quadrilha dominou funcionários e, em dois minutos, saiu com a carga de ouro. Na fuga, os carros foram abandonados no Jardim Pantanal e trocados por caminhonetes. Essas caminhonetes, depois, foram achadas pela polícia no estacionamento. A carga, avaliada em mais de R$ 100 milhões, iria para Nova York e Toronto. 

Continua após a publicidade
Publicidade