Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Audiência entre professores e governo termina sem acordo

Greve completou 54 dias nesta quinta (7). Secretário Herman Voorwald descarta qualquer acordo antes de 1º de julho

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 5 dez 2016, 12h30 - Publicado em 7 Maio 2015, 20h49

A reunião de conciliação entre o Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp) e o governo de São Paulo para o fim da greve dos professores terminou sem acordo. O caso agora será encaminhado a um dos 25 desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo. A greve da categoria completou 54 dias nesta quinta (7).

O secretário de Educação, Herman Voorwald, disse que descarta qualquer acordo ou proposta sobre o reajuste salarial antes de 1º de julho.

+ Torcida do Corinthians é multada em 20 mil reais por homofobia

“Há uma queda de arrecadação no Estado nos primeiros meses do ano. Se esse comportamento continuar se repetindo não será possível conceder nem o reajuste inflacionário”, afirmou o secretário.

Voorwald disse ainda que a greve tem pequena adesão e que o Estado continuará descontando os dias parados dos grevistas. “Essa é a reação da secretaria, em respeito aos professores que estão trabalhando”.

+ Acompanhe as últimas notícias da cidade

A presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha, acredita que a falta de negociação com os professores possa incentivar mais profissionais a aderirem à paralisação. “Não é possível que o Estado não tenha nenhum controle de seu orçamento e não possa apresentar uma proposta”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade