Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Sorocaba autoriza o chamado ‘tratamento precoce’, ineficaz contra a Covid

Prefeito alega que medida foi tomada com base em portaria do Ministério da Saúde; cidade gastou quase R$ 60 000 com medicamentos

Por César Costa Atualizado em 19 mar 2021, 16h50 - Publicado em 19 mar 2021, 16h22

A prefeitura de Sorocaba publicou nesta sexta-feira (19) um comunicado autorizando médicos a recomendarem a adoção do tratamento precoce contra a Covid-19. No texto, o Secretário da Saúde de Sorocaba, Vinicius Rodrigues, afirma que o objetivo é “diminuir a letalidade e a complexidade dos casos de Covid-19″. Foram gastos R$ 57 000 na compra de dois medicamentos.

A nota afirma que a “prescrição do tratamento precoce da Covid-19 contará com os seguintes medicamentos: Azitromicina e Ivermectina e, se necessário, conforme orientação médica, também podendo incluir Paracetamol, Dipirona e/ou Metoclopramida”. Segundo a Organização Mundial da Saúde, não há medicamentos cientificamente comprovados para o combate da Covid-19.

Estudos rigorosos feitos por todo mundo comprovaram que medicamentos como Azitromicina, Ivermectina e também Hidroxicloroquina e Nitazoxanida são ineficazes ou até prejudiciais quando administrados para quadros de Covid-19, sejam eles casos leves, moderados ou graves. A própria OMS rechaça o uso de medicamentos em um suposto tratamento precoce, conforme mostra reportagem de VEJA Saúde. 

À VEJA São Paulo o prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga (Republicanos), disse que o foco da prefeitura é a imunização e a aquisição de doses da vacina contra a doença. “Nós entendemos que o grande desafio nosso é na questão da vacinação. Nós enviamos e-mails para todos os laboratórios e assinamos quatro protocolos de intenção para a compra de vacinas”.

Continua após a publicidade

Em relação ao tratamento precoce, Manga afirma que a ação foi tomada com base em instruções do Ministério da Saúde, que orienta a adesão do tratamento precoce. “Existe uma normativa, uma portaria do Ministério da Saúde, recomendando que as cidades façam o tratamento precoce”. Segundo ele, será concedida autonomia aos profissionais de saúde e aos pacientes se vão decidir aderir ou não.

“O tratamento precoce está à disposição de todas as Unidas Básicas de Saúde (UBS), que são 32 em Sorocaba. No entanto, só poderá ser utilizado com prescrição médica. Então, é o médico que vai prescrever se ele entender que é necessário, e o paciente tem a opção de aderir ou não, inclusive assinando um termo de responsabilidade”, explica o prefeito.

Ocupação de leitos de UTI em Sorocaba

No boletim epidemiológico do município, atualizado no dia 18 de março, Sorocaba registrou seis hospitais com 100% de ocupação dos leitos de UTI destinados a adultos, sendo três deles hospitais particulares. Outros quatro hospitais estão com a taxa de ocupação acima dos 85%, com um deles já a 96,33%. Ao todo são 245 leitos de UTI adulto na cidade, com 234 ocupados, o que representa uma ocupação de aproximadamente 95%. 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade