Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Prefeitura adia mais uma vez entrega do Vale do Anhangabaú

O custo atual estimado é de R$ 105 milhões, valor 32% maior do que o previsto inicialmente pela prefeitura

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 6 jan 2021, 11h14 - Publicado em 6 jan 2021, 11h11

A Prefeitura de São Paulo adiou nesta quarta-feira (6) a entrega do Vale do Anhangabaú. Originalmente marcada para junho de 2020, o prazo de execução do contrato da obra de reforma do local foi prorrogado por mais trinta dias, estendendo-se assim até o dia 31 de janeiro de 2021, de acordo com o Diário Oficial. 

O Consórcio Central, responsável pela obra, enviou uma carta à prefeitura no dia 14 de dezembro de 2020 solicitando o adiamento por conta do funcionamento das fontes instaladas no projeto. “A nova prorrogação é necessária para atender ao período de operação assistida para as fontes instaladas no projeto”, explica o documento. 

Em outubro, a gestão municipal concedeu o Anhangabaú à iniciativa privada por R$ 6,5 milhões, e o Consórcio Viaduto do Chá, formado pelas empresas G2P Partners e GMCOM Eventos e Projetos Especiais, poderá explorar comercialmente o local pelo prazo de 10 anos. 

Inicialmente, o custo da reforma foi orçado em R$ 80 milhões. O custo atual estimado é de R$ 105 milhões, valor 32% maior do que o previsto inicialmente pela prefeitura. 

O Consórcio Central havia solicitado que a execução do contrato fosse prorrogada até o dia 28 de fevereiro. No entanto, o 12° aditamento contratual publicado no Diário Oficial no dia 29 de dezembro de 2020 autorizou a prorrogação até 31 de janeiro, ou seja, 30 dias a menos do que queria a empresa. 

Continua após a publicidade

A prefeitura afirmou, por meio de nota, que o Vale do Anhangabaú não tem data para abertura ao público. O motivo é o agravamento da pandemia da Covid-19 na cidade de São Paulo. 

“A Prefeitura de São Paulo informa que o Vale do Anhangabaú permanecerá fechado devido ao agravamento do número de casos de pessoas infectadas pelo Covid-19. A prorrogação do contrato foi necessária para dar continuidade à operação assistida”, explica a gestão municipal.

Adiamentos

No fim de setembro, o Consórcio Central solicitou um novo prazo de 90 dias para o término total da obra na região central da cidade de São Paulo.

“A obra do Vale do Anhangabaú ficará pronta no dia 30 de outubro. O espaço estará aberto aos pedestres, mas o consórcio responsável pelas obras continuará presente durante os seis meses de duração da operação assistida”, dizia a nota. Em outubro, o consórcio pediu mais dois meses de prorrogação para entrega da obra. A nova data era dia 31 de dezembro.

+Assine a Vejinha a partir de 5,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade