Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Pesquisa mostra que Zona Oeste tem prato feito mais caro de São Paulo

Preço médio na região é de R$ 27,30, valor 28,5% mais alto do que na Zona Leste, onde um PF sai por R$ 19,52, diz Procon-SP

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 mar 2022, 19h45 - Publicado em 29 mar 2022, 19h28

Uma pesquisa mostra que comer um prato feito ou se valer do self-service para matar a forme custa mais caro se você estiver na Zona Oeste de São Paulo do que nas demais regiões da cidade.

+Conheça quem são os pré-candidatos ao governo do estado nas Eleições 2022

O levantamento feito em conjunto pelo Procon-SP e Dieese (órgão de estatísticas e estudos socioeconômicos do estado) indica que o valor médio de uma refeição simples na região, o famoso prato do dia, custa R$ 27,30, quantia que é 28,5% maior do que os R$ 19,52 cobrados na Zona Leste da capital.

A Zona Oeste também é o local onde o quilo cobrado pela comida ofertada no self-service é mais cara. Enquanto na Zona Norte o valor é de R$ 57,63 o quilo, na Zona Oeste ele custa R$ 67,92, diferença de R$ 10,29 ou 17,8%.

Já a Zona Sul reúne os valores mais elevados para quem quiser comer à vontade no self-service (R$ 46,16), ou se preferir comer um executivo de frango, que tem preço de R$ 38,69, o mais salgado da cidade.

+Doria quer retirada de barracas montadas na praça Princesa Isabel

O local mais barato para se esbaldar de comer no self-service de preço fechado é na Zona Norte, onde custa R$ 27,41, 40,6% inferior ao cobrado na Zona Sul. É também na Zona Norte o preço mais camarada do executivo de frango: R$ 25,08, 37,8% inferior ao cobrado na Zona Sul.

Continua após a publicidade

A sondagem do Procon-SP é feita apenas com uma pequena parcela desse tipo de estabelecimentos na cidade: 350.

O objetivo do órgão de defesa do consumidor é o de conhecer e acompanhar os efeitos da pandemia de Covid-19 nas atividades dos restaurantes da capital.

+STF valida acordo entre União e prefeitura de SP sobre Campo de Marte

Segundo a sondagem, do início de janeiro de 2020 até fevereiro deste ano, a variação acumulada foi de 13,2%. Os dados não refletem a atual crise dos combustíveis, que elevou de forma significativa os valores do gás usado nos fogões das cozinhas desses estabelecimentos.

A conclusão que os pesquisadores chegaram é que o preço médio do quilo do self-service na capital é de R$ 65,22; R$ 35,90 nas refeições self-service de preço fixo; R$ 30,48 nas refeições executivo de frango e R$ 23,19 no caso do PF.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)