Palestrantes inusitados fazem sucesso no mercado

Figuras curiosas, entre ilusionista, borracheiro e cover do Elvis, conquistam público

Com um livro em mãos, Mágico Bianko vira-se para o público e diz: “É necessário despertar o fogo do conhecimento”. De repente, o objeto incendeia-se, e o telão ao fundo começa a transmitir imagens de homens das cavernas em volta da fogueira. Paulista de Campinas, a 100 quilômetros de São Paulo, o ilusionista, cujo nome verdadeiro é Walkyrio Bianco Jr., de 53 anos, repete esse mesmo ritual ao menos dez vezes por mês.

Ele é um dos palestrantes mais requisitados da capital na área de vendas. Faz apresentações a funcionários de empresas como Johnson & Johnson, Itaú, McDonald’s e Gerdau, e cobra 10 000 reais por evento, o que lhe garante um rendimento de 1,2 milhão de reais ao ano.

Para se ter uma ideia, o professor de MBA da FGV Cláudio Tomanini, autor de best-sellers, é apontado como o primeiro do ranking e realiza entre dez e quinze palestras mensais, que custam até 15 000 reais cada uma. Bianco Jr. já fez um diretor de departamento sumir e reaparecer triunfante dentro de um carrão, dinheiro “voar” e neve cair no palco, como a personagem do desenho infantil Frozen.

Ele atua como mágico desde o fim dos anos 80, mas passou a se dedicar a palestras há pouco mais de uma década. “Percebi que meu trabalho poderia ser bem-vindo nesse mercado e acertei em cheio”, diz. “As solicitações pelo meu serviço aumentaram 25% em cinco anos.” Palestras de figuras inusitadas como Bianco Jr. vêm ganhando espaço nessa área, dominada por filósofos, professores e esportistas.

“Na contratação pesa mais o carisma para inspirar os funcionários do que um diploma de Ph.D.”, explica Ana Tikhomiroff, diretora da Palestrarte, companhia especializada em palestras na cidade. Outra estratégia bem-sucedida nesse ramo é prender a atenção da plateia por meio de shows e performances.

O engenheiro de máquinas paulistano Helder Moreira, 47, é cover de Elvis Presley há cerca de vinte anos. Em 2011, ao conversar com Cesar Romão, advogado e jornalista referência em eventos corporativos, teve a ideia de levar aos palcos a biografia de seu ídolo, o maior vendedor de discos da história, com 1 bilhão de cópias.

Elaborou seu conteúdo baseado no site oficial do rei do rock e atualmente tira, em média, 13 500 reais por palestra — em torno de sete por mês. “Ainda sou mais procurado para entoar Love Me Tender com minha banda, mas pretendo reverter o quadro em breve”, planeja.

Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), 92% das empresas de grande e médio portes investem em treinamentos para estimular sua equipe e 60% dos congressos no Brasil ocorrem na capital paulista. E, apesar da crise econômica, houve um crescimento de 25% nesse setor no ano passado. “É justamente no momento de recessão que os diretores precisam animar seus vendedores. Por isso, personalidades com histórias de superação são bastante procuradas”, comenta Igor Cozzo, diretor da ABTD.

É o caso do borracheiro Silvio Igor, 43. Dono de uma oficina de 40 metros quadrados em Campinas, ele foi descoberto em 2009 por um cliente, o gestor de RH Marcelo Oliveira. “Notei que ele tinha um talento nato. Contava boas histórias com dicção perfeita, um locutor motivacional promissor”, relembra.

Incentivado pelo executivo, o borracheiro passou a se apresentar de graça a conhecidos, até que, dois anos depois, foi contratado por um escritório de oradores em Moema, na Zona Sul. Hoje, realiza oito eventos mensais a um cachê médio de 7 000 reais. Em seus shows, solta frases de efeito como: “Comprador bom é o que reclama, porque ele ainda quer fechar negócio; o problema são os silenciosos, pois vão embora para a concorrência sem falar nada”.

No final, sempre é aplaudido de pé. “Igor usa a própria experiência e mostra que qualquer um pode fazer de seu negócio um sucesso”, elogia Jussara Sanches, gerente de marketing da consultoria farmacêutica Consulfarma, que o contratou para uma apresentação no fim de 2016.

O MÁGICO
Nome: Walkyrio Bianco Jr.
Idade: 53 anos
Profissão: ilusionista
Palestras por mês: dez
Cachê: 10 000 reais cada uma
Público: funcionários de vendas de empresas como McDonald’s, Itaú e Gerdau
Faturamento anual: 1,2 milhão de reais

Motivação rock ‘n roll: Helder realiza shows e palestras motivacionais caracterizado como Elvis Presley (Leo Martins/Veja SP)

O REI DO ROCK
Nome: Helder Moreira
Idade: 47 anos
Profissão: engenheiro e cover de Elvis Presley
Palestras por mês: em média, sete
Cachê: em média, 13 500 reais cada uma
Público: vendedores da Unilever, Banco do Brasil, Infraero e Tribunal Superior do Trabalho
Faturamento anual: cerca de 1 milhão de reais

Borracheiro e palestrante: “Comprador bom é o que reclama, porque ele ainda quer fechar negócio” (Alexandre Battibugli/Veja SP)

O BORRACHEIRO
Nome: Silvio Igor
Idade: 43 anos
Profissão: borracheiro
Palestras por mês: oito
Cachê: 7 000 reais cada uma
Público: vendedores da Fiat, Carrefour, Wella e 3M, entre outras
Faturamento anual: 700 000 reais

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s