Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

São Paulo entra em período mais restritivo; veja o que abre e fecha

Todo o estado regride no plano de reabertura econômica; segundo governo, sem ação os leitos de UTI Covid poderiam colapsar em 28 dias

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 25 jan 2021, 11h57 - Publicado em 25 jan 2021, 11h47

As medidas de restrição da fase vermelha do Plano São Paulo de reabertura econômica começam a valer a partir desta segunda-feira (25) e devem ir até o dia 7 de fevereiro. As novas restrições foram anunciadas na última sexta-feira (22).

Por pelo menos duas semanas, as regiões do estado que estão na fase laranja passarão a seguir as regras da fase vermelha das 20h às 6h em dias úteis, feriados e finais de semana. É improvável o avanço de qualquer região para fase verde ou amarela antes do dia 8 de fevereiro. 

Apesar do aniversário de São Paulo ser um feriado municipal, a gestão estadual afirmou que na capital as medidas de restrições da fase vermelha valerão apenas depois das 20h nesta segunda-feira (25).  

O que pode funcionar na fase vermelha

Na fase de alerta máximo do Plano São Paulo de reabertura econômica, somente serviços essenciais poderão operar. São eles: 

  • Serviços de delivery
  • Açougues
  • Farmácias
  • Mercados
  • Padarias
  • Postos de combustíveis
  • Meios de transporte coletivo (Ônibus, trem e metrô)
  • Transportadoras
  • Oficina de veículos
  • Centros religiosos
  • Serviços de hotelaria
  • Bancos
  • Pet shops
  • Lavanderia

O atendimento presencial em lojas e restaurantes é proibido. Estão na fase vermelha as regiões: Bauru, Barretos, Marília, Franca, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté. 

Na fase laranja estão: Grande São Paulo, Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Piracicaba, Registro e São João da Boa Vista. 

O que pode funcionar na fase laranja

  • Academias, parques e salões de belezas passam a ser permitidos.
  • Bares seguem proibidos.
  • Ocupação de 40% em todo o comércio
  • Funcionamento dos estabelecimentos passa a ser 8 horas por dia
  • Atendimento presencial até as 20h 

De acordo com o governo de São Paulo, sem as medidas mais restritivas, em 28 dias o estado poderia ter o esgotamento de leitos de UTI Covid. 78% da população passou para a fase laranja e 22% para a fase vermelha.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade