Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ministério Público denuncia Eduardo Costa por estelionato

Caso envolve o contrato de compra de um imóvel em Capitólio

Por Redação VEJA São Paulo 30 nov 2021, 19h24

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou o cantor Eduardo Costa e seu cunhado, Gustavo Caetano Silva, por estelionato. O caso envolve o contrato de compra de um imóvel em Capitólio (MG), negociado por Costa para um casal.

As investigações tiveram início em 2017 e a denúncia foi distribuída nesta segunda-feira (29) à 11ª Vara Criminal da Comarca de Belo Horizonte. Contudo, a ocorrência ainda não foi analisada pela Justiça.

Ao tentar registrar o imóvel de Capitólio, os novos proprietários descobriram que a casa está construída parcialmente em uma área de preservação permanente pertence à Furnas Centrais Elétricas, dona de uma represa na região. Por esta razão, ele é alvo de uma ação civil pública no Ministério Público Federal (MPF) e de uma ação de reintegração de posse.

O terreno tem cerca de 4.000 m² dos quais, de acordo com o MPF, 1.122,80 m² estão na área de proteção. O casal alega que não sabia dos processos envolvendo o imóvel. Já Eduardo Costa declara que tinha conhecimento de que parte da casa estava em terreno ilegal e que teria notificado os novos donos antes da conclusão da venda.

Segundo a polícia, a casa foi vendida por um valor entre R$ 6,5 milhões e R$ 7 milhões e o imóvel que Costa recebeu como troca do casal custaria cerca de R$ 9 milhões. A diferença de valores foi paga pelo cantor com uma Ferrari, uma lancha e uma moto aquática. Procurada, a assessoria do artista disse que ele não vai se pronunciar sobre o assunto.

Continua após a publicidade

Publicidade