Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Suspeito alugou terreno no mesmo ano que Madeleine desapareceu

Vizinho falou à imprensa; agentes fazem buscas em propriedade na Alemanha desde segunda-feira (27)

Por Redação VEJA São Paulo 29 jul 2020, 14h35

Os investigadores do caso Madeleine MacCann, a menina britânica que desapareceu em Portugal durante férias em 2007, encontraram um porão escondido no terreno onde o principal suspeito do sequestro teria vivido no mesmo período. As informações são do Daily Mail.

A polícia alemã escavou o quintal de uma propriedade na cidade de Seelze, Alemanha. O principal suspeito é chamado pela imprensa de Christian Bruckner (a polícia não revelou o nome do homem). Ele está preso no norte da Alemanha condenado por contato sexual com menores. Desde segunda-feira (28) os agentes procuravam novas evidências no terreno onde o homem teria vivido em 2007, após supostamente sequestrar Madeleine.

Um vizinho afirmou que Christian alugou a propriedade e disse para ele que queria fazer um “isolamento térmico” em uma cabana que ficava sobre uma base de concreto que tinha um porão embaixo. O homem saiu de férias em julho daquele ano e quando voltou, a cabana tinha sido destruída.

Os agentes utilizaram cães farejadores para identificar corpos que poderiam ser encontrados no local. A busca continua no endereço até o final desta terça e a polícia não revelou se encontrou outras evidências no endereço.

A polícia afirma que Christian morou regularmente na região onde Madeleine desapareceu em Algarve, sul de Portugal, entre 1995 e 2007. Ele teria trabalhado em restaurantes da região.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade