Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Já com alta procura, EUA voltam a emitir vistos para brasileiros

Com permissão de entrada dos turistas vacinados no país a partir de 8 de novembro, demanda represada explode e novas vagas devem ser criadas para emissão

Por Redação VEJA São Paulo 26 out 2021, 18h14

Um dia após anunciar data e novas regras para a entrada de turistas no país, os Estados Unidos, por meio de sua embaixada no Brasil, anunciaram nesta terça-feira (26) que vão retomar a emissão de vistos para brasileiros. O processo para a feitura desse documento, necessário para a entrada no país, estava praticamente parado desde maio de 2020 por conta da pandemia de Covid-19

Com o anúncio da atualização das regras para a entrada de estrangeiros nos EUA feita pelo governo Biden nesta segunda (25), os brasileiros poderão voltar ao país a partir do dia 8 de novembro, desde que apresentem comprovante de duas doses de vacina e teste de Covid negativo (confira aqui todas as regras).

Como há uma alta procura por vistos americanos, ainda mais com os pedidos represados desde maio de 2020, o consulado estadunidense já havia alertado que as datas de agendamento para emissão de vistos estão ocupadas até dezembro de 2022.

O consulado anunciou a abertura de novas vagas para agendamento de entrevistas ainda neste ano, mas, segundo Antonio Agnone, chefe da seção consular da embaixada americana, a fila de espera para agendamentos ainda deve “aumentar muito”. As entrevistas para a emissão dos vistos, uma das etapas do processo, serão retomadas a partir de 8 de novembro.

Segundo as autoridades americanas, até esta segunda (25) não era possível realizar agendamento de entrevistas do visto para 2021 por falta de vagas. Com isso, é possível escolher datas em 2022 ou mesmo em anos subsequentes, mas, por conta da demanda, eles não garantiram que os agendamentos serão respeitados.

Continua após a publicidade

Diante da alta procura de brasileiros pelo visto, as autoridades americanas ainda afirmaram que a intenção é regularizar a situação para um patamar pré-pandêmico, mas que o tempo que vai levar para a normalização ainda não pode ser estimado.

Durante a pandemia, com o avanço da Covid no Brasil, os EUA estabeleceram restrições para viajantes vindos do país, como a proibição de entrada para quem tivesse passado pelo Brasil nos 14 dias prévios ao ingresso no país norte-americano. Com isso, diversos brasileiros que queriam entrar nos Estados Unidos se utilizaram de táticas como passar o período de 14 dias num país que não fosse alvo das restrições americanas, como o México, antes de embarcar ao país.

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Continua após a publicidade

Publicidade