Clique e assine por apenas 6,90/mês

Irregularidades no auxílio emergencial somam mais de 1 bilhão

Pessoas com renda acima do limite, servidores públicos e até mortos estão na lista dos beneficiários

Por Agência Brasil - 12 Jul 2020, 15h16

O Tribunal de Contas da União identificou indícios de irregularidades no auxílio emergencial de mais de 620 000 beneficiários. Os auxílios recebidos irregularmente somam mais de 1 bilhão de reais.

Pessoas com renda acima do limite, servidores públicos e até mortos estão na lista dos beneficiários do auxilio emergencial criado para ajudar desempregados, autônomos e trabalhadores de baixa renda atingidos pela crise instituída pela pandemia do novo coronavírus.

O TCU identificou ainda pagamentos do benefício a quem está recebendo seguro-desemprego e auxílio-reclusão. 38% das irregularidades encontradas são de empresários que não são microempreendedores individuais. Segundo o TCU, 235 000 empresários tiveram acesso ao benefício de 600 reais.

Para chegar as inconsistências, o TCU fez cruzamento dos dados dos beneficiários com bancos de dados da Receita Federal e do INSS, por exemplo. As informações estão no Relatório de Acompanhamento de Dados Relacionados às Ações de combate à Covid-19, divulgado dia 8 de julho.

Continua após a publicidade

O governo federal tem 15 dias para indicar ao TCU medidas para reduzir os índices de inconsistências. De acordo com o Ministério da Cidadania, responsável pelo programa, cerca de 400 000 benefícios foram bloqueados antes mesmo do relatório do TCU. Destes, 61 000 funcionários públicos, e 2 300 presidiários.

 

 

Publicidade