Clique e assine com até 89% de desconto

Escolas estaduais de SP terão aprovação automática em 2020

Para assegurar a aprovação, os alunos devem ter feito as atividades passada pelos professores

Por Redação VEJA São Paulo 5 nov 2020, 14h42

O Conselho Estadual de Educação aprovou na última quarta-feira (4) a proposta de progressão continuada nas escolas da rede estadual de São Paulo em 2020. A suspensão da reprovação tem como objetivo reduzir impactos sobre desigualdade educacional e manter estudantes engajados, diz o governo. A medida vale para todas as séries.

Para assegurar a aprovação, os alunos devem ter feito as atividades passada pelos professores. Caso contrário, os estudantes serão convocados para recuperação presencial em janeiro para que possam seguir ao próximo ano escolar em 2021.

Ainda não foi estabelecido a quantidade mínima de tarefas entregues para o aluno ser considerado aprovado.

“Não posso definir um parâmetro de atividades para o estado todo. Tenho realidades muito distintas. Não dá para exigir o mesmo de alunos de uma escola rural ou de determinadas regiões da capital. O melhor é que cada escola faça isso e a gente acompanhe para que não haja abusos”, disse o secretário.

Segundo a Folha, 20% dos alunos da rede estadual não entregaram nenhuma atividade letiva durante a pandemia. A medida ainda precisa ser aprovada oficialmente pelo secretário da Educação, Rossieli Soares.

Por conta da suspensão das aulas por mais de seis meses, a medida prevê que os anos letivos de 2020 e 2021 sejam considerados um único ciclo contínuo, formado por oito bimestres escolares. “A aprendizagem está se dando de forma distinta entre os alunos, por isso, é preciso dar um tempo maior para essa recuperação das habilidades previstas para este ano”, afirma Soares.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade