Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Empresário morto pelo filho tinha fuzil e carros de luxo

Oito armas foram apreendidas na casa; segundo a polícia, homem agredia a família

Por Redação VEJA São Paulo 4 ago 2021, 14h45

Um adolescente de 14 anos matou o pai em Valinhos, interior paulista, na terça-feira (4). O filho teria atirado no pai após ele agredir a família: a Polícia Militar afirmou que foi chamada para atender um caso de violência doméstica.

O empresário morreu após ser atingido por cerca de três tiros. As informações são do Agora São Paulo. O homem mantinha em casa oito armas, entre elas pistolas, revólveres e fuzil, além de carregadores. Ele era conhecido na região por manter uma coleção de carros de luxo.

Em depoimento na delegacia de Valinhos, o filho e a mulher do empresário afirmaram que ele estava os ameaçando de morte na noite anterior ao crime, apontando armas de fogo na cabeça dos dois.

Eles afirmaram que episódios de violência doméstica eram constantes. Na manhã de terça, o homem teria mandado mãe e filho embora da casa e quando o rapaz se preparava para sair com a mãe, o empresário teria afirmado que iria bater no jovem e se ele “não morresse, ia ficar aleijado”, segundo relato dado para a polícia.

Mãe e filho ficaram em cômodos diferentes da casa após as ameaças e, momentos depois, a mulher afirmou ter ouvido tiros e viu o marido correr para a garagem.

O filho, em depoimento, afirmou que suspeitou que o pai poderia ter armas no carro e desferiu mais tiros no empresário, na região da barriga. A Secretaria de Segurança Pública aguarda o resultado da perícia para dar andamento à investigação.

Continua após a publicidade
Publicidade