Clique e assine por apenas 6,90/mês

Drauzio Varella nega fazer parte de comitê sobre a Cracolândia

Rumores surgiram após uma conversa informal entre o médico e o secretário estadual de Saúde

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 31 May 2017, 12h36 - Publicado em 31 May 2017, 12h35

O médico Drauzio Varella costuma manifestar abertamente suas opiniões sobre política e saúde pública – como fez ao falar sobre a internação compulsória de dependes químicos da região da Cracolândia.

Dessa vez, a prática de falar abertamente sobre suas ideias rendeu uma saia justa. Depois de uma conversa informal com David Uip, secretário estadual de saúde e colega de Varella no Hospital Sírio Libanês, surgiram rumores de que o médico teria aceitado o convite para integrar um comitê de saúde contra a dependência química, ao lado de outros dois médicos: Anthony Wong e Wagner Gattaz. 

Ontem, ao ser surpreendido com a veiculação do boato na mídia, Varella decidiu publicar em suas redes sociais um vídeo negando que teria sido convidado para atuar como conselheiro do governo do Estado nas questões relacionadas à Cracolândia.

No video, ele explica: “Ele (David Uip) perguntou se eu estaria disposto a dar algumas ideias para encaminhar o problema de combate às drogas na Cracolândia. E eu concordei, lógico, não vou me negar a dar ideias”.

Continua após a publicidade

Ainda assim, o médico afirma que o convite formal para fazer parte de um comitê não existiu. “E mesmo que tivesse recebido (o convite), eu não aceitaria”, afirmou. Dois motivos foram listados pelo médico para a recusa: falta de preparo técnico e de tempo hábil para assumir a função. “Não tenho a menor condição de fazer parte de um comitê com essas características”, completou.

Confira o vídeo completo a seguir:

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=jrMbu6uRhYQ&w=560&h=315]

Publicidade