Clique e assine por apenas 6,90/mês

Doria condena atitude de guarda que agrediu morador de rua

Vídeo que mostra agressão foi divulgado nesta quarta-feira (3); prefeito disse que GCM será afastado

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 4 Maio 2017, 10h50 - Publicado em 4 Maio 2017, 10h40

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), classificou como ato condenável e exacerbação de funções a agressão a um morador de rua por um agente da Guarda Civil Metropolitana (GCM), divulgada nesta quarta-feira (3), em imagens registradas por testemunhas.

Em vídeo publicado em sua conta no Twitter, nesta quinta-feira (4), Doria também garantiu que o servidor foi afastado do cargo e disse ter conversado com o homem agredido para prestar solidariedade e oferecer assistência da Prefeitura.

Samir Ali Ahmed Sati, de 40 anos, fraturou um punho e precisou ser atendido em um pronto-socorro. O prefeito relatou que o morador em situação de rua foi encaminhado a uma unidade da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, no centro da cidade, onde agora recebe atenção especializada junto a sua mulher.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Doria ainda afirmou ter determinado ao secretário municipal de Segurança Urbana, José Roberto Rodrigues de Oliveira, que a atitude do guarda seja tomada como referência para que “não ocorra mais nenhuma situação dessa natureza”. A pasta já havia divulgado o afastamento do agente, logo depois que as imagens da agressão começaram a repercutir nas redes sociais.

Sati teve roupas e outros pertences pessoais tomados durante a abordagem da GCM. No vídeo, ele é visto chorando e implora para que o carrinho de supermercado “com tudo o que tinha” não fosse levado. Enquanto isso, um dos agentes empurra e dá uma rasteira no homem, que fica caído no chão. O caso será investigado pelo 35º Distrito Policial da Jabaquara, na Zona Sul, e por uma auditoria interna da Corregedoria-Geral da GCM.

Confira vídeo em que Doria fala sobre o caso:

Continua após a publicidade

Repúdio a Agressão de Pessoa em Situação de Rua

Pessoal, hoje ocorreu um episódio lamentável envolvendo uma pessoa em situação de rua e um GCM. Repudiamos a abordagem violenta. Nada justifica tamanha violência! A GCM vem desempenhando um trabalho humano e primoroso, que não condiz com este caso isolado. Confio nos procedimentos e na apuração dos fatos pela corregedoria. A verdade precalecerá e a justiça será feita.

Posted by João Doria on Wednesday, May 3, 2017

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Vídeo mostra morador de rua sendo agredido por GCM

Continua após a publicidade

"Não leva meus bagulho não, por favor, eu não tenho nada" Ontem a temperatura mínima na cidade de São Paulo foi 16 graus. Não foi um sono difícil, entretanto. Tenho em casa colchão, cobertores e um fogão que me esquenta a barriga antes de deitar. Tenho paredes à minha volta que impedem o vento gelado de me castigar durante a noite. Tenho o suficiente para garantir a sobrevivência de um ser humano com o mínimo de dignidade.Hoje, uma quarta-feira de todos os santos, sai de casa bem encasacado. Subi a escadaria e caminhei pelo pequeno terminal de ônibus do bairro. Desci por uma das entradas do metrô Conceição e sai pelo outro lado, evitando a avenida caótica e barulhenta que corre acima dos trens.Impelido pelo desejo de começar o dia com uma coxinha ou um pastel, eu caminhava até o Praça São Paulo quando de repente avistei uma das "limpezas" períodicas praticadas pela prefeitura. Alguns agentes da Guarda Metropolitana – a GCM – tentavam remover os poucos pertences de um morador de rua: um colchão, alguns cobertores e um carrinho de supermercado, cuja nota fiscal o sujeito foi incapaz de apresentar, vejam bem. Não pretendo me estender aqui, porque o vídeo fala mais do que qualquer coisa que eu tenho capacidade de escrever. Mas como é triste viver numa sociedade que coloca um trabalhador pra reprimir seu camarada, tirar dele o pouco que tem e deixá-lo numa situação pior ainda do que a pobreza repugnante na qual se encontrava antes.Acima de tudo, uma sociedade que gera tanta mas tanta miséria apenas para que encontre depois, como solução, criminalizá-la. Vem aí o inverno. A mínima de hoje é de 15 graus.

Continua após a publicidade

Posted by Marcos Hermanson on Wednesday, May 3, 2017

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade