Continua após publicidade

Sal debaixo da língua? Veja cuidados com a pressão em dias de calor

No calorão é preciso ficar atento com a saúde, principalmente dos idosos

Por César Costa
Atualizado em 1 out 2020, 13h36 - Publicado em 1 out 2020, 13h34

O mês de outubro irá começar com temperaturas elevadas e deve até bater recorde histórico de calor da cidade de São Paulo. A maior temperatura registrada aconteceu no dia 17 de outubro de 2014 e foi de 37,8 graus. Nesta quinta-feira (1º), a máxima prevista para a capital é de 38 graus, ou seja, há fortes chances de ultrapassar a maior marca de calor já registrada desde 1943, quando começaram as medições no Inmet. Com o calorão, muita gente pode passar mal, principalmente os idosos, que são mais suscetíveis às variações climáticas. 

Como se proteger do calor

O médico Natan Chehter, geriatra do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, falou sobre algumas ações importantes para evitar o mal estar nesses dias de calor intenso. “Quando o tempo está mais quente e seco é recomendado um esforço maior para beber água”. Ele explica que altas temperaturas induzem as pessoas a procurarem por ambientes com ar condicionado, mas mesmo assim a hidratação é fundamental. “O ar condicionado é um ar seco e, na prática, a hidratação continua sendo fundamental mesmo com um clima mais gelado”, ensina. 

Para a população idosa, o cuidado precisa ser redobrado. “É uma situação mais difícil. Alguns mecanismos de sede já estão mais comprometidos e, naturalmente, se bebe menos água. Nessas épocas é mais importante fazer um esforço maior para consumir líquidos”.

Pessoas com problemas relacionados à pressão e que tomam medicações precisam ser ainda mais precavidas. “Uma pessoa que toma remédio pra diminuir a pressão e ainda passa por um dia quente enfrenta dois fatores: um que seria normal, a pressão baixar por conta do calor. O outro são os remédios que também causam a diminuição [da pressão arterial]. Acaba sendo uma combinação ruim para ela que, sem a hidratação correta, pode ter uma queda de pressão mais séria”, diz. 

Continua após a publicidade

E quando vem a queda da pressão, o que fazer? “Existe uma recomendação equivocada que é a de colocar sal debaixo da língua. Na prática, a orientação correta é deitar para evitar tontura ou uma queda súbita que resulte em desmaio. Quando deitada, levantar as pernas, colocá-las em algum apoio, um banquinho ou almofada, por exemplo, para contribuir para um aumento da pressão”, explica o especialista.

Natan ainda complementa dizendo que, uma vez que o mal estar tenha passado, é preciso voltar a tomar líquido. “No momento em que a pessoa está passando mal não é o momento certo para beber mais água”, complementa.  

Por que tão quente? 

Existem alguns motivos para que o tempo esteja alcançando temperaturas tão altas. De acordo com o Climatempo, primeiramente, a forte massa de ar seco que atuou no fim do inverno ganhou intensidade na capital. Com ela, a umidade relativa do ar não aumenta ao longo do dia pela ausência de frentes frias. Sem nenhum sistema que provoque chuvas e nebulosidade, não há como barrar a elevação da temperatura, como acontece, por exemplo, quando há formação de nuvens que bloqueiam a entrada dos raios solares.

Continua após a publicidade

Em segundo lugar, essa massa de ar seco foi intensificada devido à condições do oceano favoráveis a um tempo menos úmido. “Estamos no padrão de La Nina, que é o resfriamento das águas no pacífico equatorial e que tende a deixar o tempo mais seco nos próximos meses”, explica João Basso, meteorologista do Climatempo. 

Na sexta-feira (2), a temperatura subirá bastante até a chegada da chuva. O sol vai predominar no período da manhã com algumas nuvens. No final do dia a previsão é que chegue uma nova frente fria da região Sul do Brasil. Ela impactará as condições de tempo na capital e o sábado (2) começará com tempo nublado, chuviscos e queda de temperatura.

A temperatura chega a variar entre 17 e 23 graus no primeiro dia do final de semana e a chuva acontece principalmente entre a tarde e a madrugada ou a manhã do domingo. Ela será frequente, mas com fraca intensidade. O tempo ameno deve ir embora já na segunda-feira (5), com o calorão dando as caras novamente por aqui.

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Veja a previsão do tempo nos próximos dias para a capital:

Quinta-feira (1º): Mínima de 20ºC e máxima de 38ºC

Sexta-feira (2): Mínima de 23ºC e máxima de 38ºC

Continua após a publicidade

Sábado (3): Mínima de 18ºC e máxima de 23ºC

Domingo (4): Mínima de 17ºC e máxima de 22ºC

Segunda-feira (5): Mínima de 21ºC e máxima de 31ºC

Continua após a publicidade

Terça-feira (6): Mínima de 21ºC e máxima de 27ºC

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.