Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Celso Russomanno copia trecho de edital de Covas em plano de governo

"Entre o original e a cópia, é melhor ficar com o original. Para o bem do consumidor", ironizou campanha do atual prefeito que concorre à reeleição

Por Redação VEJA São Paulo 30 set 2020, 10h46

O deputado federal e candidato à prefeitura pelo Republicanos, Celso Russomanno, foi acusado de plágio em trechos de edital lançado pela gestão do PSDB sobre concessão de terminais de ônibus. A acusação veio da campanha de reeleição do prefeito de São Paulo, Bruno Covas

No seu programa de governo protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o candidato do Republicanos usa a passagem do edital do concorrente na parte referente a mobilidade urbana e transporte. “Concessão para administração, manutenção, conservação, exploração comercial e requalificação dos terminais de ônibus e de seus empreendimentos associados, e realização de obras de melhoria no perímetro de abrangência”, está escrito. 

Em nota, a campanha de Covas diz que “o plágio do candidato Celso Russomano mostra que até ele apoia as medidas do prefeito Bruno Covas”. Ela ainda faz uma provocação. “Entre o original e a cópia, é melhor ficar com o original. Para o bem do consumidor”.

Russomanno não vê problema em cópia

Na manhã desta terça-feira (29), Russomano minimizou a polêmica e afirmou que não vê problema em concordar com estudos que já foram feitos pela Prefeitura.

“Não tem problema nenhum que no meu plano de governo tem alguma coisa que os meus técnicos colocaram que eles concordam com estudos que já foram feitos pela Prefeitura e existe isso, tem estudos que já foram feitos em relação aos terminais e que está igual no meu plano”, disse o candidato. Ele explicou que “um bom administrador mantém as coisas boas e tenta modificar o que é ruim”.

“Um administrador público deve parar tudo o que é bom e começar tudo de novo e reinventar a roda para dizer que o que ele está fazendo está certo? O meu plano de governo foi feito por técnicos capacitados. Se o modal dos terminais de ônibus é uma coisa boa, eu vou modificar por quê? Eu tenho que ir na mesma linha. Seria um absurdo eu estar modificando alguma coisa só para dizer que vou fazer diferente. O que é bom tem de ser mantido sempre. Um bom administrador mantém as coisas boas e tenta modificar o que é ruim, é isso que ele tenta fazer”, disse em conversa com a imprensa.

O candidato do Republicanos ainda explicou que não vê problemas de seus técnicos concordarem com os técnicos de outra campanha. “Um bom administrador é aquele que se inteira das coisas, tem conhecimento do que está acontecendo e mantém as coisas boas e tenta melhorar o que está ruim. Então não tem problema nenhum que no meu plano de governo tem alguma coisa que os meus técnicos colocaram que eles concordam com estudos que já foram feitos pela Prefeitura e existe isso, tem estudos que já foram feitos em relação aos terminais e que está igual no meu plano. Ninguém é dono da verdade. Até porque o que está no meu plano de governo e está no do Bruno foi feito por técnicos. Agora se os técnicos compartilham da mesma opinião, eu vou discutir? Imagina! Eu vou é assumir o que é bom”.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade