Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Capital terá 127 mil “forasteiros” votando pela 1ª vez na cidade

Um deles seria o ex-ministro Sérgio Moro, mas sua transferência de título foi negada pelo TRE-SP

Por Clayton Freitas Atualizado em 10 jun 2022, 10h20 - Publicado em 9 jun 2022, 18h04

Por não conseguir comprovar seu vínculo com a cidade de São Paulo, o eleitor Sérgio Fernando Moro, 49 anos, teve a sua transferência de título de Curitiba (PR) para a capital paulista indeferida pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) em sessão realizada na última terça-feira (7).

+Sorocaba inicia nesta sexta (10) medidas “antiCracolândia”

Diferentemente do ex-ministro e ex-juiz da Lava Jato, que tinha pretensão de sair candidato pelo seu partido, o União Brasil, outras 127 122 pessoas poderão votar pela primeira vez na capital. Ou serem votadas, caso algumas delas venham a se candidatar nas eleições deste ano.

Tratam-se de pessoas que, assim como Moro, moravam em outros estados do país e pediram –e conseguiram– fazer a sua transferência de domicílio eleitoral entre os anos de 2021 e neste ano de 2022. Dados do TRE-SP mostram que foram 23 982 em 2021, e 103 140 neste ano.

+Exame confirma primeiro caso positivo de varíola de macaco no Brasil

O número registrado de pedidos neste 2022 é 51% superior ao aferido em 2018, também um ano eleitoral, quando 68 244 pessoas moradoras de outros estados do país pediram a transferência.

Em todo o estado um total de 258 570 pessoas fizeram a transferência neste ano, e outras 57 171, em 2021. Portanto, 315 741 estarão aptas a votar e serem votadas no estado de São Paulo, o que nunca tinham feito antes, já  que moravam em outros estados. No comparativo com 2018, percebe-se um aumento de 19,8%, já que, naquele ano, foram 215 728 pedidos feitos.

Continua após a publicidade

Tarcísio na mira

O questionamento da troca de domicílio eleitoral, que, na prática, impediu Moro de ser candidato, agora se vira também para o eleitor Tarcísio Gomes de Freitas, 46, mais conhecido como ex-ministro da Infraestrutura do governo Bolsonaro ou por Thorcísio por seus fãs.

Isso porque o diretório estadual do PSOL entrou com uma representação contra a sua transferência de domicílio eleitoral de Tarcísio, o que ainda será avaliado pelo Ministério Público Eleitoral.

+Projeto quer transformar agente penitenciário em policial penal

Postulante a disputa do governo estadual, aparecendo em terceiro lugar nas pesquisas, Tarcísio também trocou de domicílio eleitoral. O militar da reserva é carioca, e, devido ao cargo que ocupava, morou nos últimos anos em Brasília. Ele pediu transferência para o estado de São Paulo por ter uma parente em São José dos Campos, no interior, o que, em tese, confirmaria o seu vínculo com o estado, apesar dele nunca ter fixado moradia em nenhuma parte o território paulista na maior parte de sua vida.

A mudança de domicílio eleitoral não é exclusividade de candidatos da direita ou extrema-direita. Marina Silva (Rede), que nasceu no Acre e já representou o eu estado no Senado entre os anos de 1995 a 2011, também se mudou para São Paulo.

Existem casos de pessoas que eram eleitoras em São Paulo e se mudaram para outro estado. É o caso, por exemplo, da ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que pediu transferência para Brasília (DF).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês