Clique e assine por apenas 5,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

O fim do Arábia Café

Embora fosse filial de um dos melhores restaurantes libaneses da cidade, o Arábia — eleito sete vezes como o campeão de sua categoria pela edição especial “Comer & Beber” de VEJA SÃO PAULO –, o Arábia Café serviu seu último quibe cru ontem. O estabelecimento fechou definitivamente neste domingo. Conversei com o proprietário Sergio Kuczynski. […]

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 27 fev 2017, 12h35 - Publicado em 3 abr 2012, 00h45

Arábia Café: nem o balcão envidraçado com tentadoras especialidades libanesas conseguiu atrair a clientela para o restaurante, que fechou definitivamente ontem (Foto: Tadeu Brunelli)

Embora fosse filial de um dos melhores restaurantes libaneses da cidade, o Arábia — eleito sete vezes como o campeão de sua categoria pela edição especial “Comer & Beber” de VEJA SÃO PAULO –, o Arábia Café serviu seu último quibe cru ontem. O estabelecimento fechou definitivamente neste domingo.

Conversei com o proprietário Sergio Kuczynski. Ele me contou que no almoço a casa ia muito bem. “Era muito fraco à noite e nunca descobrimos o real motivo”, diz. “Acho que o jantar é um problema para a maioria dos restaurantes da Vilaboim, com exceção dos japoneses, Sushi Papaia e Aoyama.” O restaurateur acredita, por exemplo, que os moradores de Higienópolis não se sentiam seguros para caminhar durante a noite pelas ruas do bairro e, por isso, não iam ao restaurante. Outra causa possível está na falta de estacionamento e preço alto cobrado pelo valet. “Às vezes, as pessoas tomavam apenas um lanche no Arábia Café e gastavam mais do que o valor da conta para estacionar”, reconhece. Além disso, a demora em receber o carro de volta era grande, o que acabava por incomodar bastante quem estava esperando.

“Tentamos várias estratégias para não fechar. Tínhamos uma política agressiva de preços, bem mais em conta que na matriz dos Jardins, e organizávamos menus promocionais e oferecíamos receitas harmonizadas com vinhos. Nada funcionou”, admite. Em quase cinco anos de atividade, Kuczynski revela que não conseguiu reaver integralmente os 800.000 reais investidos para montar o restaurante. “A gente não gosta de fazer conta de quando perde”, diz com bom-humor.

A decisão de colocar um ponto final veio com a abertura do Arábia Express, que está programada para o dia 19. A nova loja ficará dentro do Shopping JK Iguatemi, que tem previsão de abrir nesta mesma data. “Aproveitamos todo o pessoal de cozinha para a nova unidade e a equipe de salão foi transferida para a Rua Haddock Lobo”, conta.

Mesmo com uma localização privilegiada, o ponto do Arábia Café na Praça Vilaboim, no número 73, não é dos melhores. Também naufragaram por lá o Empório Natan Bistrot & Café e uma unidade do Yellow Giraffe.

Continua após a publicidade
Publicidade