Com pequenas maldades, MasterChef diverte e empolga na estreia

Quem cozinhar (BEM) sobreviverá. Essa é a lógica do reality culinário MasterChef, sucesso da TV britânica que se difundiu mundo afora, e na semana passada estreou na TV Bandeirantes e vai ao ar toda terça às 22h45. Em cena, está uma legião de cozinheiros amadores que ambiciona se tornar profissional de forno e fogão. Obter o […]

O trio de avaliadores Erick Jacquin, Paola Carosella, Henrique Fogaça e a apresentadora Ana Paula Padrão (Fotos: divulgação)

O trio de avaliadores Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça e a apresentadora Ana Paula Padrão (Fotos: divulgação)

Quem cozinhar (BEM) sobreviverá. Essa é a lógica do reality culinário MasterChef, sucesso da TV britânica que se difundiu mundo afora, e na semana passada estreou na TV Bandeirantes e vai ao ar toda terça às 22h45. Em cena, está uma legião de cozinheiros amadores que ambiciona se tornar profissional de forno e fogão. Obter o título não será fácil. Apenas um sairá vitorioso. Para chegar lá, os cinquenta participantes selecionados terão de se submeter ao crivo de três respeitados chefs de cozinha em atuação em São Paulo.

+ Saiba todos os detalhes da abertura do primeiro Red Lobster paulistano
+ Tudo sobre o teste da Paçoquita versus a Nutella
+ Receita: cheesecake de Nutella

A tarefa de julgar cabe à argentina Paola Carosella, dona do restaurante Arturito, ao francês Erick Jacquin, ex-sócio do estrelado e extinto La Brasserie e hoje consultor de duas casas, o Tartar&Co e o La Cocotte, e o paulista Henrique Fogaça, proprietário e titular do Sal Gastronomia. A apresentação é de Ana Paula Padrão, que nunca esteve tão bonita. Show!

A primeira avaliação ao ar livre na Praça Charles Miller

A primeira avaliação ao ar livre na Praça Charles Miller

No primeiro episódio, o que se viu foram os dois avaliadores fazendo cara de maus e Paola expressando uma estudada doçura, que lhe rendeu o título de boazinha, a “fofa” nas redes sociais. Isso não impediu que ela mandasse alguns candidatos para casa. A começar pelo primeiro deles, o João, que disse ter se tornado piloto de helicóptero aos 39 anos tamanha sua determinação pessoal, mas tropeçou na própria soberba ao fazer o prato da sua vida, uma massa fresca. Foi Paola quem o despachou sem dó, mas com um pedido de desculpas, que repetiu outras vezes.

+ Restaurante francês com cozinha de bistrô faz refeição completa a 34,50 reais
+ 10 pizzarias com redondas de dar água na boca

Os competidores seguintes também não passaram no crivo dos especialistas. Filipe conseguiu errar um trivial bife à milanesa. Jacquin definiu como comida do barzinho da esquina, curioso ele mesmo um fã de baixa gastronomia que chegou a montar um restaurante já fechado intitulado Le Buteque. O arroz de Valesca foi gentilmente considerado por Fogaça como “um reboque, bom para levantar parede.”

Jacquin entrega a colher para um dos selecionados

Jacquin entrega a colher para um dos selecionados

O melhor é a voz off de Ana Paula dizendo que os jurados estão decepcionados com o nível apresentado pelos concorrentes até aquele momento. E os espectadores decepcionadíssimos com a sofrível escolha feita pelos encarregados em selecionar os participantes. É de doer. E, por isso, tão divertida.

Entre os desastres anunciados, o instrutor de yoga vegano, a veterinária caiçara, e dona Marilda dos charutinhos com coalhada comprada pronta.

+ Aprenda a fazer o tiramisu original. É  bico!
+ 50 menus executivos por até 50 reais

Bem para não parecer uma lenga-lenga interminável, vamos aos que se salvaram. O jovenzinho impetuoso Martin fez um risoto de morango que conheci por meio de Gabriel Bolaffi, autor do livro A Saga da Cozinha. Era uma das receitas italianas retratadas por este autor pelo menos uma década atrás. Diante de tanta “ousadia” (sic), os chefs pareciam carolas das mais conservadoras torcendo para dar errado. Tudo bem que o rapaz cometeu o “crime” de usar redução pronta de balsâmico em cima do risoto. Fogaça pelo menos reconheceu que já tinha praticado a mesma “ousadia” em seu início de carreira, não a redução pronta, mas o risoto de morango.

Fogaça: o durão cai no berreiro

Fogaça: o durão abre o berreiro

Sem levar em conta a ordem do programa, engrossaram a lista dos aprovados com mais ou menos louvor outros sete participantes. Cecilia, a moça do mercado financeiro, que fez camarão com manga com jeitão de prato de restaurante, Marissol, a hippie, na definição de Jacquin, que cozinhou o frango dourado com polenta, que fazia “xi” na panela, Estefano, o auxiliar de serralheiro, autor do salmão ao molho de maracujá, que mereceu perdão mesmo tendo esquecido a guarnição.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo
+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

Também conquistaram uma vaguinha o psicólogo gaúcho topetudo Eduardo que se arriscou em um porco caramelado com purê de abóbora e farofa de erva-mate, único prato que fiquei curioso em experimentar. Impressionante que ele usou o chá típico de seu estado e isso não passou pela cabeça dos jurados, mudos nos comentários. Nem mesmo a dona de casa Michele, da Maré, no Rio, que fez bolinho de arroz com camarão e chuchu, uma reinterpretação muito peculiar de um prato carioca que serviu de inspiração para o título de um livro da premiada chef Roberta Sudbrack. Só houve emoção com o filhote de Jamyly, a jovem estudante do Amapá que manchou a honra de seu estado “tão esquecido” ao adicionar mussarela no peixe que é “alma do Brasil” — puro folclore! Ao menos, vaticinaram assim Paola e Fogaça, que fez questão de declarar “respeite seu estado, suas raízes”. E abriu o choro. Justo ele, o durão.

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo
 + Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

Mas quem promete mesmo é Bianca, a cozinheira-atriz-emburrada que é mais brava do que os jurados. Até conversar com a mãe dela eles precisaram para aprová-la.

E prepara-se para ouvir inúmeras vezes a pergunta-ladainha: “Este é o prato da sua vida?” em mais catorze programas.

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados
+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

Ao próximo episódio.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s