Roteiro

Achados da Zona Norte (de A a Z)

As personalidades, os endereços gastronômicos e os passeios que conquistam moradores de todas as regiões da cidade

Por: Jussara Soares e Renata Turbiani - Atualizado em

Horto Florestal
O Horto Florestal: 174 hectares de área (Foto: Sérgio Tauhata)

Formada por dezoito distritos e com cerca de 2,2 milhõesde habitantes, o equivalente a 20% da população da cidade, a Zona Norte é uma das regiões mais extensas e diversificadas da capital. Abriga ao mesmo tempo enormes corredores comerciais, como a Avenida Cruzeiro do Sul, e gastronômicos, caso da Avenida Braz Leme, com vários bares e restaurantes. Fora desse circuito, há ainda o simpático Mocotó, um dos melhores templos de culinária brasileira da metrópole. Outro grande atrativo local são as extensas áreas verdes, a exemplo do Horto Florestal, que conta com uma área de 1,7 milhão de metros quadrados, 10% maior que a do Parque do Ibirapuera, na Zona Sul. O pedaço abriga ainda clubes tradicionais como o Esperia, 25 faculdades e nove shoppings. Confira um guia especial com essas e muitas outras atrações.

Armênia - A autêntica culinária da Armênia é oferecida há 63 anos numa travessa da Rua Alfredo Pujol, em Santana. Mais precisamente na Casa Garabed, um restaurante de ambiente familiar que prepara todo e qualquer pedido do freguês na hora. De uma esfiha (R$ 6,50 a R$ 11,10) a um madzunovkiofté, que é um quibe na coalhada (R$ 65,00). Há oito meses, a casa acrescentou ao cardápio dez saboresde sorvete. O preferido da clientela é o que mistura o típico doce armênio halawi com pistache (R$ 95,00 o quilo). A Casa Garabed prepara essas e outras iguarias em um forno de 25 metros quadrados construído em 1949.Outra relíquia é o piso, original da década de 40.

Acarajé - No Acarajé da Inês, a iguaria que dá nome à casa custa 10 reais e começou a ser vendida pela baiana Maria Inês dos Santos na porta de sua casa aos domingos para reforçar o salário de doméstica, na década de 90. O negócio originou uma barraca de feira e, há nove anos, o restaurante na Vila Medeiros. Em 2012, uma filial foi inaugurada em Santana.

Arqueologia - Erguido em 1702, o Sítio Morrinhos abriga hoje o Centro de Arqueologia de São Paulo, que reúne um acervo de aproximadamente1 milhão de peças. Na exposição permanente do local, o público pode ver de perto objetos curiosos como uma urna funerária encontrada no século XIX na Zona Leste e uma ponta de flecha indígena achada na região do Morumbi.

Bar do Luiz Fernandes
O Luiz Fernandes: clássico em Santana (Foto: Fabio Braga)

Botequim - Ambiente simples, cervejas nacionais e petiscos que fazem sucesso há décadas são o charme de três famosos estabelecimentos da região: Bar do Luiz Fernandes, Bar do Plínio e Boteco O Pescador. Muitos clientes vêm de longe para conferir as atrações do cardápio dessas casas. No Luiz Fernandes, destaca-se o bolinho de carne (R$ 2,00 a unidade pequena e R$ 4,00 a grande). O carro-chefe do Plínio é o trio do cliente (R$ 59,00), uma porção em que o freguês pode escolher três tipos de peixe. O dono do lugar, Paulo Plínio Nani, costuma contar que ele mesmo viaja para fisgar pintados, tilápias e outras espécies. Em O Pescador, fundado em 1977, um dos campeões de pedidos é a barca do pescador (R$ 139,00), com iscas de peixe, lula, camarão, cação e sardinha. Os caldos (de R$ 9,50 a R$ 11,50), como o de sururu, também têm boa saída.

+ Achados da Zona Leste: restaurantes, bares, parques e muito mais

+ 460 programas para curtir em São Paulo antes de morrer

Berços - A Avenida Zaki Narchi, em Santana, é um dos grandes centros de móveis e decoração para quartos de bebês da capital. Aberta em 1998, a Cadê o Nenê? é a loja mais antiga do pedaço, mas há outros endereços importantes, como Decorita Baby e Allegrini Baby. Nesses lugares, é possível montar um quarto completo a partir de 2 000 reais.

Carlões - A Zona Norte representa um dos maiores terrenos de mestres do samba da metrópole. Na área, destacam-se dois “Carlões”. Um deles é Carlos Alberto Caetano, de 83 anos, que, em 1956, fundou com amigos a Unidos do Peruche, uma das mais tradicionais agremiações da cidade, campeã da avenida em três oportunidades (1965,1966 e 1967). “Infelizmente, dos membros mais antigos, só eu estou vivo”, lamenta ele, que hoje é coordenador da Velha Guarda e também atua como conselheiro nas decisões da escola. Outro personagem histórico da região é Carlos Costa, de 80 anos, o “general” da Banda Redonda. Trata-se de um dos mais antigos blocos de rua da cidade. Em 2014, a entidade completa quatro décadas de atividades. O Carlão da Redonda dá expedienteno Anhembi, onde mantém uma sala em que cuidada memória do Carnaval paulistano. “Desfilei pela Vila Maria e pela Morro da Casa Verde, mas agora só me dedico ao nosso cordão”, explica.

Banda Redonda - Carlos Costa
Costa, da Banda Redonda: bloco tradicional da cidade (Foto: Mario Rodrigues)

Coxinha - Crocante por fora e com recheio de frango com catupiry, o famoso salgado do FrangÓ faz muitos paulistanos atravessar a cidade em direção à Freguesia do Ó. Por dia, cerca de 2 000 unidades são consumidas no bar. Sua fama existe desde a abertura da casa, em 1987. A receita é do fundador local, Valdecyr Piccolo. Atualmente, quatro funcionários se dedicam exclusivamente ao trabalho de preparar a coxinha. A porção com dez unidades custa R$ 28,00. Para acompanhar, o cardápio traz cerca de 400 opções de cerveja importada.

Churrasco - Inaugurada em outubro de 2012, a filial da Fogo de Chão do Center Norte é uma das mais movimentadas da rede, que possui seis unidades na capital. A exemplo dos demais endereços da cadeia, ela oferece dezoito cortes de carne. Além de salada, o bufê tem feijão-carreteiro, polenta, pão de queijo e outros pratos da culinária brasileira como acompanhamento para o churrasco. O rodízio custa R$ 108,00.

Detenção - Inaugurado em 1920, o presídio do Carandiru chegou a abrigar cerca de 8 000 detentos. Em 1992, 111 morreram depois que quase três centenas de policiais militares invadiram o local para conter uma rebelião. No início de abril, mais de duas décadas depois do massacre, 73 soldados acabaram condenados pela Justiça (a maior penafoi de 624 anos de reclusão em regime fechado). Uma demolição ocorrida em 2002 pôs abaixo boa parte do complexo para dar lugar ao Parque da Juventude. Restaram apenas três celas, que integram hoje o espaço Memória do Carandiru.

Dia do Fico - Um dos eventos mais importantes antes da Proclamação da Independência, o Dia do Fico sedeu em 9 de janeiro de 1822, quando dom Pedro I, contrariando a ordem de Portugal, decidiu permanecer no Brasil. “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, digam ao povo que fico”, declarou ele, na data histórica. O fato começoua se desenhar no Solar dos Andradas. Na época, ali residia o conselheiro José Bonifácio de Andrada e Silva, que ocupava o cargo de membro provisório de São Paulo e iniciou uma campanha pedindo ao Príncipe Regente que ficasse no Brasil. O imóvel teria sido construído em 1734 e servido inicialmente a um convento. Apesar da sua importância, foi se deteriorando com o passar dos anos e acabou demolido em 1915. Atualmente, o endereço do antigo solar é ocupado pelo Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo, ligado ao Exército.

Esfiha - Aberta em 2005 pelo chef Armando Sabbag, a Casa Libanesa tem um cardápio vasto de pratos da culinária árabe, mas são as esfihas de massa crocante que atraem o público. No pequeno restaurante, com apenas vinte lugares, saem nos dias de semana cerca de 700 esfihas, entre abertas e fechadas. Nos fins de semana, o número chega a 1 200. As opções de recheio incluem carne de cordeiro, ricota ecoalhada com azeitonas pretas. Os preços variam entre R$ 4,80 e R$ 7,50.

Esportes - O Sesc Santana, inaugurado em 2005, é uma referência para a prática de esportes na região. Há atividades para crianças a partir dos 3 anos de idade — elas estimulam o desenvolvimento com saltos, rolamentos, ritmo e expressão corporal. Para adolescentes, vôlei, basquete e futsal são algumas opções. Adultos e idosos podem se inscreverem hidroginástica, ginástica multifuncional e iniciação à corrida.

Famosos - Longe da barulheira do centro e com jeitão de interior, a Serra da Cantareira é o lugar onde a moda de viola fez morada: Sérgio Reis, Almir Satere Renato Teixeira estão entre os habitantes da região. Na década de 70, a cantora Elis Regina também teve ali sua casa de campo. O conjunto de rock Os Mutantes, encabeçado por Rita Lee e pelos irmãos Arnaldo e Sérgio Baptista, realizava ensaios barulhentos no local naquela mesma época. Alguns moradores famosos nasceram ou foram criados na Zona Norte, como é o caso do ex-pugilista Éder Jofre, que sempre viveu no Parque Peruche. Católicos de Santana orgulham-se de o Padre Marcelo Rossi ter saído de lá. Já o piloto Ayrton Santana morou em Santana e no Tremembé antes de se mudar para a Europa a fim de iniciar sua carreira no automobilismo internacional.

Feiras - Inaugurado em 1970, o Parque Anhembi firmou-se ao longo do tempo como o maior centro de feiras e exposições da América Latina. Recebe por ano cerca de cinquenta eventos, que atraem mais de 3 milhões de pessoas. Eles ocorrem no pavilhão de exposições, local com uma área de 78 000 metros quadrados e uma rotina frenética para dar conta do trabalho de montagem e desmontagem dos stands. A Bienal do Livro, que neste ano acontecerá de 22 a 31 de agosto, e o Salão do Automóveis (de 30 de outubro a 9 de novembro) são os maiores acontecimentos do pedaço: cada um atrai cerca de 750 000 pessoas por edição.

Tramway da Cantareira
A Tramway nos anos 30: trajeto até Guarulhos (Foto: Raph Mennuci Giesbrecht)

Ferrovia - A Tramway da Cantareira e a Estrada de Ferro Perus-Pirapora eram duas estradas de ferro que transportaram passageiros na Zona Norte até os anos 70. Construída em 1893, a primeira levava material para a construção da represa na Cantareira. A intenção era que o sistema fosse desativado quando a obra acabasse, mas o trem permaneceu em atividade por atender bem a população. Em 1917, a ferrovia foi expandida, comum ramal que a ligava até a cidade de Guarulhos. A Parada Inglesa, que hoje dá nome a um bairro da região e à estaçãode metrô, fazia parte do circuito da Tramway. As operações terminaram em 1965. “Naquela época, a linha dava prejuízo e não recebia mais investimentos”, conta o pesquisador Ralph Mennucci Giesbrecht. Já a Perus-Pirapora começou a ser feita entre 1910 e1914 por uma fábrica de cal para o transporte de calcário. Apesar do nome, os trilhos nunca chegaram a Pirapora — o percurso terminava em Santana de Parnaíba. Em 1971, o trem parou de levar passageiros, mas o transporte de calcário seguiu até 1983.

Grafite - Os carros e pedestres que cruzam o trecho da Avenida Cruzeiro do Sul entre as estações Portuguesa-Tietê e Santana visitam, ainda que involuntariamente, o Museu Aberto de Arte Urbana (Maau). Naquele trecho de dois quilômetros, trabalhos de setenta grafiteiros estão registrados em noventa painéis espalhados pelas 45 pilastras de sustentação do Metrô. “As obras recuperaram aquela área, que sempre foi muito perigosa”, diz Binho Ribeiro, que mora no Tucuruvi e divide a curadoria do Maau com Chivitz. Os dois estavam entre os onze grafiteiros detidos em 2011 quando faziam uma intervenção no local. “Na delegacia, já começamos a pensar no projeto do Maau. Conseguimos então a autorização da prefeitura para usar aquele espaço”, lembra Chivitz.

Museu Aberto de Arte Urbana (Maau)
Cruzeiro do Sul: noventa painéis (Foto: Binho Ribeiro)

Gêrmanicos - Parte dos bairros de Santana e do Tremembé concentra uma das maiores colônias de alemães e seus descendentes em São Paulo. Cerca de 700 deles se reúnem aos domingos na Igreja Evangélica de Confissão Luterana. No primeiro e terceiro domingos de cada mês, além do culto em português, há uma celebração em alemão. Outro marco da colônia na Zona Norte é o Colégio Imperatriz Leopoldina. Inaugurada em 1923, até hoje a instituição oferece aulas no idioma de Goethe.

Glúten free - Alimento sem glúten e funcional não precisa ser uma coisa sem sabor. Foi nesse o conceito que a chef Sofia Cattaccini baseou as receitasde sua padaria artesanal Diaita, aberta há três anos. O negócio deu certo. Hoje, entre pães, biscoitos, doces e outras comidinhas, ela vende cerca de 2 300 quilos de alimentos sem glúten por mês, e a loja com dezesseis lugares já fica com fila na porta. O petit gâteau preparado com biomassa de banana verde, cacau orgânico e nozes custa R$ 8,20 a unidade. Outro destaque do cardápio são os wraps de alcachofra (R$ 15,80, duas unidades). Fazem também muito sucesso por lá o pão de inhame e tofu orgânico (R$ 23,00) e o pão de feijão preto (R$ 18,50).

História - O Arquivo Público do Estado reúne mais de 10 quilômetros de documentação e 1,5 milhão de  imagens. Entre outras raridades, encontram-se por lá os acervos particulares dos ex-presidentes Júlio Prestes e Washington Luís e do ex-governador Adhemar de Barros. Os arquivos mais pesquisados são os jornais da época do Brasil colonial e do Império, documentos de imigração e também do Departamento de Ordem Política e Social (Dops). Parte da coleção foi digitalizada e está disponível aqui. Os usuários podem ainda ir pessoalmente ao local e utilizar a sala de consulta, aberta de segunda a sexta, das 9h às 17h (o serviço fica disponível um sábado por mês). No 1º andar do prédio há sempre uma exposição temporária. A próxima, Povo, Praça e Participação: 30 Anos das Diretas Já, será inaugurada na quarta (16/4/2014).

Hotel gigante - Com 780 apartamentos distribuídos em treze andares, o Holiday Inn Parque Anhembi é o maior hotel do Brasil. A localização estratégica ao lado do Sambódromo do Anhembi também o transformou na casa do Carnaval de São Paulo. Não apenas turistas, mas rainhas de bateria e integrantes de escolas de samba que querem se hospedar lá durante os dias de desfile precisam fazer reserva com pelo menos três meses de antecedência. A Fórmula Indy é outro evento responsável por ocupar 80% do estabelecimento durante a semana de treinos e de competição. No restante do ano, feiras, convenções eeventos corporativos garantem o movimento do negócio. As diárias variam de R$ 580,00 a R$ 1 500,00.

Hospital Pinel - Fundado no fim da década de 20 como um sanatório particular, o Hospital Psiquiátrico Pinel, em Pirituba, foi adquirido pelo governo do estado em 1944. Na época, atendia exclusivamente mulheres de baixa renda. Atualmente, ele presta assistência a crianças, adolescentes eadultos, de ambos os sexos. Possui 130 leitos reservados aportadores de transtorno mental em crise aguda, que chegam lá encaminhados pelos prontos-socorros da rede pública. O período médio de internação é de quinze dias. Os pacientes participam de oficinas terapêuticas e recebem assistência de psiquiatras, psicólogos e de profissionais de outras áreas médicas, como odontologia, fisioterapia e fonoaudiologia.

Igreja - Erguida em 1901, a Igreja Nossa Senhora do Ó é uma das mais antigas construções religiosas de São Paulo. A paróquiaoriginal, de 1716, acabou destruída em um incêndio 100 anosdepois. Consta que o acidente foi provocado por um sacristãoque tentou afastar com fogo um enxame de abelhas. A atualmatriz, onde hoje são realizadas treze missas por semana,acabou sendo erguida quase no mesmo local. Entre as relíquiasguardadas no lugar estão o documento de doação do terrenopela família real portuguesa e uma imagem de Santo Antôniode Categeró. Em 2011, a fachada passou por uma reforma.Gastaram-se na época cerca de 350 000 reais, bancados pela subprefeitura da Freguesia/Brasilândia.

Igreja Nossa Senhora do Ó
A Igreja Nossa Senhora do Ó: treze missas por semana (Foto: Douglas Cometti/Folhapress)

Jesus - Cerca de 1,5 milhão de pessoas participam anualmente da Marcha para Jesus na Zona Norte. Organizada pelo apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo, ela surgiu em 1993, e o trajeto seguia da Avenida Paulista para o Vale do Anhangabaú. Desde 2006, no entanto, os fiéis marcham do metrô da Luz à Praça dos Heróis da Força Expedicionária Brasileira, próximo ao Campo de Marte, onde ocorrem shows e cultos. Neste ano, o evento será realizado em 7 de junho, às vésperas da abertura da Copa do Mundo no Brasil. Até agora, quinze bandas gospel já confirmaram a participação no evento.

Liga das Senhoras de Santana - Na década de 80, um grupo de mulheres católicas moradoras da Rua Paderewsky ficou nacionalmente conhecidocomo a Liga das Senhoras de Santana. No início, elas se reuniam para discutir o Evangelho e fazer caridade. Mas começaram a provocar barulho ao defender a censura e lutar contra a imoralidade nos meios de comunicação em atos públicos. Entre outras ações, organizaram protestos de rua e acamparam na porta da Rede Globo. Um dos alvos era o TV Mulher, exibido pela emissora, que tinha a participação da sexóloga Marta Suplicy.

Lojas populares - Aparelhos de som, roupas, móveis, calçados, brinquedos, bolsas, acessórios e produtos madein China dominam os pontos comerciais presentes em parte dos quase 5 quilômetros da Rua Voluntáriosda Pátria, que começana Marginal Tietê e segue até a Avenida Santa Inês. O local representa a mais importante via de varejo do pedaço. Alguns de seus trechos, que são dedicados àsofertas populares, lembram a região da 25 de Março, no centro. Outros pontos da Voluntários guardam semelhança com o mercado da Santa Ifigênia pela grande quantidade de artigos eletrônicos.“Existe por aqui um comércio bem diversificado. Ele tem menos movimentação que o das outras ruas famosas, mas é uma referência aqui na Zona Norte”, diz Joris Teeuwen, de 40 anos, gerente da Eletrônica Santanta, loja de componentes eletrônicos que está há cinquenta anos no número 1495 da Voluntários da Pátria.

Milk-shake - Inspirado nas lanchonetes americanas dos anos 50, o Chip’s Burger tem chão quadriculado em preto e branco, fotosde personalidades como Elvis Presley e poltronas de vinil vermelho, abajures retrô e até uma juke box. O carro-chefe da casa são os milk-shakes preparados com sorvetes artesanais, em sabores como Nutella, Ovomaltine, brigadeiro, flocos e creme. Até o fim de abril, todos estão com preço promocional de R$ 17,99.

Motel - O Studio A, localizado na Marginal Tietê, surgiu na década de 80, quando o mercado de motéis da cidade ainda vivia uma grande época de efervescência. Na contramão de boa parte da concorrência, que investia em suítes temáticas e decorações mirabolantes, o espaço apostou em um estilo mais clean. Desde o início, figurou entre os melhores estabelecimentos do gênero na capital. Uma de suas principais façanhas está no fato de se manter firme no ramo, que enfrentou uma crise nos últimos anos. Em 2008, passou por uma reforma completa. Na ocasião, foram modificadas todas as 98 suítes, a área interna e a fachada. Atualmente, o quarto mais simples custa R$ 59,00, por uma estada de duas horas (de segunda a quinta).

Militares - Três importantes bases militares ficam na Zona Norte. O Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo, em Santana, existe desde 1930. Na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, na Água Fria, em funcionamento há 104 anos, os estudantes passam por uma preparação que inclui aulas em disciplinas como noções de polícia científica e inteligência policial. Testes de novos caças e o desenvolvimento de outros projetos especiais para a Força Aérea Brasileira (FAB) são a missão do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (Pama-SP), localizado no Campo de Marte.

Noite - Aglomeração de carros e muito agito. Nas noites de sexta e sábado, e até mesmo nas tardes de domingo, esse cenário se repete em vários pontos da Avenida Engenheiro Caetano Álvares. Point badalado da Zona Norte, a via reúne diversos bares, danceterias e restaurantes. Um dos pioneiros desse agito surgiu na década de 90, quando os proprietários do tradicional Bar do Luiz Fernandes inauguraram a Cervejaria do Luiz F. “Naquela época, a Engenheiro tinha apenas algumas revendas de carros”, lembra Luiz Eduardo Fernandes, filho do fundador. Além da cervejaria, as casas Estação Mandaqui, Villa Caetano’s, Leão da Terra Cervejaria, Bar do Luiz F. Grill, Boteco Santa Villa, O Pescador Bar e Restaurante, Kabak Bar, Yes Brasil Pub, Açaí Engenheiro’s Bar e Mandacá ficam na avenida. “A principal razão para o aumento do número de estabelecimentos na Engenheiro Caetano Álvares é a preferência que as pessoas têm tido por frequentar locais próximosà sua casa, e isso se deve à Lei Seca e ao trânsito”, entende Joaquim Saraiva de Almeida, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) de São Paulo.

Mocotó
Mocotó: destaque gastronômico da Vila Medeiros (Foto: Rogerio Voltan)

Nordestinos - Na Zona Norte estão instalados três bons restaurantes de culinária nordestina. Funcionando desde 1996, o Bar do Caldo começou vendendo a especialidade escolhida para batizar o nome do estabelecimento. Hoje, no entanto, o cardápio tem desde carne com mandioca até galinha caipira, a valores a partir de R$ 14,00. Mais antigo, o Mocofava, inaugurado em 1976, é especializado no prato preparado com caldo de mocotó e fava, um feijão típico do Nordeste. A mocofava pequena custa R$ 10,00 e a grande, R$ 20,00. No Nação Nordestina, que está prestes a completar sete anos, a grande atração é o cupim atolado (mandioca cozida, oferecida no tacho com pedaços magros de cupim, acompanhada de manteiga de garrafa e pimenta-biquinho). A receita serve duas pessoas e sai por R$ 30,90.

+ Calcule a quantidade de carne para seu churrasco

Ovo caipira - O Mocotó, localizado na Vila Medeiros e comandado atualmente pelo chef Rodrigo Oliveira, é um dos melhores restaurantes de comida brasileira da metrópole (o sucesso do endereço nos últimos anos rendeu a abertura de uma espécie de filial da casa, o Esquina Mocotó, no imóvel vizinho). Nos fins de semana, clientes aguardam pacientemente por mais de uma hora na fila à porta do Mocotó o momento de provar as delícias do cardápio. Um dos itens bastante apreciados é o ovo caipira frito (R$ 3,90 a unidade). Mais de 600 deles são consumidos por mês no local. Comprados de um criador de galinhas na cidade de Bastos, a 458 quilômetros da capital, são fritos em óleo de milho e finalizados com flor de sal. Eles chegam à mesa com a gema no ponto escolhido pelo cliente — a preferência é pela gema mole — e com a borda levemente tostada.

Padre Landellde Moura - Um movimento no país tenta provar que o padre gaúcho Roberto Landell de Moura foi o pioneiro mundial da radio transmissão, em vez do italiano Guglielmo Marconi. Em 3 de junho de 1900, Landell fez uma transmissão de voz humana sem a ajuda de fios da Avenida Paulista ao bairro de Santana, mais precisamente até o Colégio das Irmãs de São José (o atual Colégio Santana, na Rua Voluntários da Pátria) — uma distância de 8 quilômetros. O inventor brasileiro faleceu em 1928, aos 67 anos, de tuberculose, em Porto Alegre, sua cidade natal, sem ver sua façanha reconhecida fora daqui.

Picolé mexicano - Uma das novidades do mercado de guloseimas geladas da cidade são as paletas mexicanas, um tipo de picolé, geralmente recheado, feito com frutas frescas e em um processo artesanal, sem a adição de conservantes. Na Paleteria Los Hermanos, inaugurada no começo deste ano em Santana, são servidos 22 sabores. Há desde os clássicos (limão, morango, coco, goiaba e abacaxi com hortelã) até os curiosos manga com pimenta e banana com Nutella. Além de oferecer sabores tradicionais do México (mojito, por exemplo), a casa elaborou opções exclusivas para os brasileiros, como a de morango com leite condensado. Os preços dos sorvetes de 120 gramas variam de R$ 6,00 a R$ 9,00.

Paleteria Los Hermanos
Los Hermanos: morango com leite condensado (Foto: Divulgação)

Pinga - Paraíso da água que passarinho não bebe da Zona Norte, o Terra Nova Bare Cachaçaria iniciou suas atividades em 1995. O sócio-proprietário Heinz Schmitz conta que preparava a bebida artesanalmente em sua casa, até que um dia resolveu ganhar dinheiro com o hobby. “Comecei a cobrar o que antes os amigos tinham de graça”, brinca. Das 475 variedades disponíveis na carta de bebidas do estabelecimento, cerca de trinta são feitas por ele. As de jabuticaba e gengibre aparecem entre as campeãs da preferência da freguesia. A alquimia tem início com cachaças puras trazidas do interiorde São Paulo, especialmente das cidades de Piracaia e São Luís do Paraitinga. Os produtos acabam curtidos nos barris com folhas, frutos, sementes e cascas de árvores, sem a adição de produtos químicos. Há também por lá opções de rótulos comerciais de fabricantes tradicionais, como Salinas e Seleta. O preço da dose varia de R$ 6,00 a R$ 80,00.

Quermesse - Uma das mais antigas e aguardadas festas juninas da cidade acontece desde 1928 no Clube Esperia, em Santana. Com atrações para toda a família, a quermesse deste ano já tem datas definidas para junho de 2014: dias 7 (a partir das 18h) e 8 (12h). Haverá shows e barracas de comidas e bebidas típicas, como pamonha, cachorro-quente, churrasco, doces, vinho quente e quentão. Para as crianças, há muitas novidades. Além das já conhecidas barracas de pescaria e tomba-lata, elas poderão se divertir com jogos eletrônicos, tobogã e parede inflável de alpinismo. A dança também vai correr solta com a quadrilha e seu animado casamento caipira. Um show pirotécnico na noite do dia 8 encerrará as festividades.

Quermesse Clube Esperia
Esperia: arraial desde 1928 (Foto: Divulgação)

Rede social Zona Norte - Em 2010, a unidade de Santana do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) articulou o Programa Rede Social, cujo objetivo é pôr em prática projetos de interesse dos moradores da região. Essas iniciativas são articuladas pela entidade junto a uma rede formada por mais de 200 organizações locais, incluindo ONGs e lideranças comunitárias. Uma das ideias que saíram do papel foi a Gerando Renda em Rede, que se propõe a contribuir com a profissionalização e ageração de renda de artesãos. Para isso, são realizados treinamentos e eventos, como feiras e exposições. Criado em outubrode 2011, o projeto beneficiou 120 trabalhadores do setor.

Remo - No início do século XX, o Tietê foi palco de grandes disputas esportivas, com destaque para as regatas de remo. A primeira aconteceu em 1903 e foi patrocinada pelo Esperia. Clubes como Tietê e Corinthians também faziam parte do circuito de competidores. As largadas ocorriam geralmente na Ponte das Bandeiras, e as competições atraíam centenas deespectadores. A partir de 1944, as águascomeçaram a ficar poluídas e impróprias para o banho. Em 1972, os atletas organizaram uma prova de despedida do lugar, e a raia olímpica da Universidade de São Paulo passou a abrigar as provas da modalidade na capital.

Restaurante de gerações - Fundado em 2002 por Tony Martin em homenagem à sua mãe, o restaurante Dona Carmela representa um dos clássicos da Zona Norte. O negócio é tocado hoje pela terceira geração da família. Instalado em um ponto com decoração rústica e clima campestre, o local celebra doze anos em 2014 com o lançamento de um menu funcional elaborado pelos chefs Marcelo Facini e Nadia Campeotto. As opções do novo cardápio estão recheadas de pratos preparados com biomassa, ingrediente considerado uma espéciede remédio natural. Segundo os especialistas em nutrição, a biomassa melhora a imunidade, traz saciedade, ativa a serotonina (neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer) e regulao intestino, entre outros benefícios. O menu do Dona Carmela inclui antepastos, massas e risotos. As pastas servidas aos clientes são fabricadas artesanalmente no estabelecimento e ainda estão à venda na rotisserie, que oferece aproximadamente sessenta receitas. Outro destaque é a adega climatizada, com maisde 100 rótulos.

Dona Carmela - nhoque
Dona Carmela: menu funcional (Foto: Tadeu Brunelli)

Samba - A Zona Norte é o reduto do samba paulistano. Além de os desfiles serem realizados por lá, das 22 agremiações que disputam a primeira e a segunda divisão do Carnaval de São Paulo, oito ficam na região. Um dos principais destaques do grupo é a Mocidade Alegre, que neste ano se consagrou tricampeã com o enredo Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar. Conhecida como “Morada do Samba”, ela está no bairro do Limão desde 1967. Ali perto, na Freguesia do Ó, fica a quadra de outro gigante dessa área, a Rosas de Ouro. Essa agremiação, no entanto, nasceu na Brasilândia, em1973, e se transferiu para o atual endereço na década de 80. Outro nome importante da região relacionado a esse universo é o da Unidos de Vila Maria.Vencedora do Grupo de Acesso de 2014, ela voltará à elite do Carnaval em 2015.

Sapatos - Cliente da Jorge Alex Santana há dezenove anos, a empresária Karim Mitiko Tateno relata que começou a frequentar a loja levada pela mãe. “Naquela época, era apenas uma portinha, e, de tanto que íamos, até nos tornamos amigas dos proprietários”, lembra a compradora, que se declara viciada em sapatos — ela compra dois pares por mês. “Hoje, quando quero algo, ligo lá e eles separam para mim. Acho ótimo poder contar com essa praticidade”, diz Karim. Funcionando desde 1983, a Jorge Alex Santana ocupa hoje uma área de 1 500 metros quadrados. Forram as prateleiras sapatos, bolsas e acessórios, tanto femininos quanto masculinos. Os preços variam entre R$ 59,90 e R$ 599,00. Devido ao sucesso dessa unidade, foram abertas outras três, nos bairros de Moema, Morumbi e Anália Franco, além de uma loja virtual, que faz entregas no Brasil todo.

Skate - Existem doze pistas públicas para a prática do esporte na região. Considerada uma das melhores da cidade, a do Parque da Juventude tem 1 000 metros quadrados. Ela possui boas variações de obstáculos e uma infraestrutura bacana, que inclui banheiro e iluminação noturna. Também conta um setor reservado exclusivamente a iniciantes, e é ideal para a prática de street e vertical, modalidade que utiliza rampas que formam um ângulo de 90 graus com o chão. Um dos frequentadores do lugar era o roqueiro Chorão, líder da banda Charlie Brown Jr. Depois da morte do artista, no ano passado, o governador Geraldo Alckmin prometeu batizara pista do Parque da Juventude com o nome do cantor. A ideia, no entanto, ainda não saiu do papel.

Shoppings - Com um total de nove shoppings, a Zona Norte é uma das campeãs da capital em número de empreendimentos do tipo. O mais antigo deles, o Center Norte, foi inaugurado pela família Baumgart em 1984. Três anos depois, surgiu ao lado o Lar Center. “Recebemos cerca de 120 000 pessoas por dia”, contabiliza o executivo Ricardo Afonso, diretor superintendente dos dois negócios. Outro centro de compras antigo do pedaço, o Shopping D comemora vinte anos em 2014. Para marcar a data, a praça de alimentação do local será totalmente reformulada. A entrega do novo complexo está prevista para julho de 2014.

Horto Florestal
O Horto Florestal: 174 hectares de área (Foto: Sérgio Tauhata)

Trópico de capricórnio - Aos pés da Serra da Cantareira fica o Parque Estadual Alberto Löfgren, mais conhecido como Horto Florestal. Ele ocupa uma área de 174 hectares e proporciona ao visitante um contato direto com a natureza, por meio de suas diversificadas fauna (é possível vermacacos, tucanos, gambás e muitos outrosanimais) e flora (destaque para espécies como pau-brasil, carvalho-nacional, pau-ferro e jatobá). Por lá também há pistas de cooper, equipamentos de ginástica, lagos, trilhas para caminhada e áreas de piquenique. O lugar ainda abriga o Instituto Florestal, órgão que coordena as unidades de conservação do estado, e o Museu Florestal Otávio Vecchi, especializado em madeira. Ao lado desse prédio, há uma placa determinando o local exato por onde passa o Trópico de Capricórnio, a linha geográfica imaginária que divide a zona tropical da temperada no Hemisfério Sul.

Transporte - Fundado em 1982, o Terminal Rodoviário Tietê (Avenida Cruzeiro do Sul, 1800, Santana, telefone: 3866-1100) recebe cerca de 90 000 pessoas todos os dias. O serviço funciona no esquema 24 h e abriga quase setenta empresas rodoviárias, 129 bilheterias e aproximadamente 300 linhas de ônibus, que ligam a capital a 1 033 cidades do Brasil e cinco países da América do Sul (Argentina, Chile, Paraguai, Perue Uruguai). O metrô, por sua vez, chega até a região por meio da Linha Azul. São seis estações na Zona Norte: Portuguesa-Tietê, Carandiru, Santana, Jardim São Paulo-Ayrton Senna, Parada Inglesa e Tucuruvi.

Teatro Alfredo Mesquita - Inaugurado em 1° de dezembro de 1988, o Teatro Alfredo Mesquita é palco de espetáculos de dança e apresentações de peças infantis e adultas em Santana. Ele foi batizado com esse nome em homenagem ao advogado, escritor e teatrólogo Doutor Alfredo Mesquita (1907-1986), fundador da Escola de Arte Dramática (EAD). Durante dois anos a casa ficou fechada para reformas — a reinauguração aconteceu no dia 13 de julho de 2012. “O local foi todo modernizado e adaptado. Hoje, tem capacidade para 198 pessoas, estacionamento gratuito para oitenta carros, sala de ensaio e acesso para deficientes, inclusive no camarim”, enumera o coordenador, Nilton Bicudo. Até o dia 20 de abril, estão em cartaz os espetáculos Sobre a Tempestade (adulto), com sessões às sextas-feiras e aos sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h, e Senhor das Chaves, com apresentações aos sábadose domingos, às 16h. Os ingressos custam R$ 10,00 e a bilheteria abre uma hora antes do início da sessão. A programação muda a cada cinco semanas.

Universos - Uma das mais tradicionais instituições de ensino superior da região, o Centro Universitário Sant’Anna — UniSant’Anna oferece atualmente mais de cinquenta cursos entre graduação e pós. Fundada pelo professor Leonardo Placucci, a escola tem uma unidade na Zona Norte (Santana), uma em Aricanduva (Zona Leste) e outra na cidade de Salto, no interior do estado. O incentivo ao esporte é uma de suas marcas. Entre os atletas que estudaram com bolsa de estudo na UniSant’Anna está Maurren Maggi, a primeira mulher brasileira na história a ganhar uma medalha olímpica no atletismo (ouro no salto em distância nos Jogos de Pequim, em 2008, com a marca de 7,04 metros).

Velocidade - Dois dos principais nomes do nosso automobilismo, Chico Landi e Ayrton Senna, nasceram na Zona Norte,mais precisamente em Santana. Landi (1907-1989)começou a disputar rachas nas ruas do bairrona adolescência. “Essas corridas valiam dinheiro, emeu pai sempre ganhava”, conta o filho Luiz Landi, de 65 anos. O piloto foi o primeiro brasileiro a disputar provas de F 1, entre 1951 e 1956. Senna,que se estivesse vivo teria completado 54 anos em 21 de março, iniciou sua trajetória no kart e, mais tarde, migrou para os carros. Muitas vezes, usava o traçado da Marginal Tietê como “pista” de teste.

Vista - Com 1 135 metros, o Pico do Jaraguá, localizado no Parque Estadual do Jaraguá, oferece uma vista de até 55 quilômetros de alcance. O acesso ao mirante pode ser feito a pé, por uma trilha de cerca de 2 quilômetros, ou de carro, pela estrada turística. O horário é das 7h às 17h, de segunda-feira a domingo. No Parque Estadual da Cantareira, o ponto de observação é a Pedra Grande, com 1 010 metros de altura. A caminhada para chegar até lá demora cerca de cinquenta minutos. A visitação acontece aos sábados, domingos e feriados — nos meses de janeiro, julho e dezembro também funciona de terça a sexta-feira, das 8h às 17h. Mas é preciso entrar até as 15h para dar tempo de concluir todo o percurso a tempo. O ingresso custa R$ 9,00 (estudantes e professores pagam meia-entrada e crianças até 12 anos e adultos acima de 60 anos não precisam desembolsar nada). Também dá para contemplar a cidade do alto do Mirante de Santana, estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Localizado na Praça Vaz Guaçu,s/nº, em Santana, ele situa-se a 792 metros do nível domar e pode ser visitado todos os dias, em qualquer horário. Somente na parte mais alta, onde ficam os aparelhos do Inmet, é que a entrada não é permitida.

X-Tudão - Pão, carne, alface, tomate, maionese, bacon, ovo, presunto, vinagrete e queijo. Junte tudo isso e você terá o gigante XDizzy, da Lanchonete Dizzy. Consumido por 1 500 clientes famintos todos os meses, o lanche da pesada custa R$ 27,50 (com hambúrguer tradicional) e R$ 31,50 (versão de picanha). Para acompanhar o sanduíche, a porção de batata frita sai por R$ 18,50. Outras opções do cardápio são o Dizzy Max (R$ 29,50), preparado com hambúrguer de 200 gramas, molho de tomate especial e queijo brie; o Dizzy Picanha (R$ 25,50), com hambúrguer de picanha, cebola e cheddar; e o X-Salada (R$ 20,00), que leva hambúrguer, alface, tomate, queijo e maionese. Inaugurada em 1969, a lanchonete inicialmente tinha apenas oito lugares. Hoje, pode atender até 350 pessoas em seus dois endereços na Zona Norte.

ZN na linha - Em 19 de setembro de 1998 foi ao ar o site Tremembé na Linha. Nos oito anos seguintes, tudo o que acontecia de importante no bairro era acompanhado e noticiado pelo endereço. Até que Eduardo Britto, idealizador do projeto, percebeu que podia expandir a cobertura para outros catorze distritos da Zona Norte. Dessa forma, em abril de 2007, o Tremembé na Linha deu lugar ao ZNnaLinha. Nestes sete anos de funcionamento, mais de 1 500 reportagens foram produzidas. Além de divulgar o que é de interesse da população local, o portal publica um guia com os contatos de bibliotecas, parques, clubes, casas de cultura e delegacias, entre outros endereços úteis.

Zoologia - O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) surgiu em 1973 para combater os casos de raiva no município. Hoje, desenvolve trabalhos de saneamento ambiental, educação, prevenção, proteção e promoção à saúde pública, por meio de vigilância de animais domésticos (cães, gatos eanimais de grande porte) e sinantrópicos (morcegos, pombos, ratos, mosquitose abelhas, entre outros). No local, cerca de 400 cães e gatos recolhidos das ruasaguardam por uma família. Periodicamente,o serviço promove também feiras de adoçãoem vários pontos da capital.

Zoom - A Discoteca Zoom marcou época nas baladas paulistanas entre 1986 e 1994. Localizada na Rua Doutor Zuquim, tinha capacidade para cerca de 3 000 pessoas e integrava uma rede de casas noturnas comandada por um grupo de empresários espanhóis liderado por Chico Recarey. Em seu período de auge, a casa era o ponto de encontro de jogadores de futebol e endinheirados da Zona Norte e de outras regiões de São Paulo. Na pista, os frequentadores dançavam ao som das batidas de house e flash house.

Fonte: VEJA SÃO PAULO