Negócios

Restaurantes de outros estados e países abrem filiais na capital

Le Pain Quotidien e Benihana são algumas das marcas que devem aterrissar na cidade nos próximos meses

Por: Nathalia Zaccaro - Atualizado em

68 La Pizzeria - NEGÓCIOS - 2261
Lilian e Lívia, da mineira 68 La Pizzeria: aposta no Jardim Paulista (Foto: Cida Souza)

O mercado gastronômico da capital tem atraído negócios de todo tipo. São tão grandes as oportunidades que coisas inimagináveis até pouco tempo atrás começam a ocorrer. Exemplo disso é o investimento de uma rede mineira para tentar abrir espaço justamente numa das maiores especialidades paulistanas, a pizza. Na última quarta (14), a 68 La Pizzeria, de Belo Horizonte, inaugurou uma filial na Alameda Tietê. Em um ambiente requintado, que inclui até uma réplica do Porsche Spyder 356 no terraço, são oferecidas sessenta variedades de cobertura (a atração é a La Premiata, que custa 50 reais e leva queijo brie e cogumelos). Além de ter opções fartas, o endereço quer fazer sucesso vendendo aos clientes a ideia de harmonizar as redondas com espumantes. Para reforçarem a proposta, as proprietárias criaram, em parceria com a marca de champanhe Veuve Clicquot, um lounge especial. Cada garrafa custará 280 reais. “Nossa proposta tem tudo para bombar”, acredita Lívia Samara, uma das sócias, ao lado da empresária Lilian de Mesquita. Foram investidos 3 milhões de reais no empreendimento.

+ Venga!: um espanhol vindo do Rio

+ Culinária da Espanha invade São Paulo

+ Sephora promete abrir cinco endereços no Brasil em 2012

Além da 68 La Pizzeria, mais um restaurante se prepara para atravessar a Rodovia Fernão Dias. Trata-se do Amigo do Rei, que funcionou entre 2002 e 2011 em Belo Horizonte oferecendo pratos iranianos. Nesse caso, a aposta dos proprietários foi ainda mais radical. A matriz simplesmente deixou de existir para a casa mudar de estado. O negócio deve reabrir em maio, em Moema. “Decidimos investir porque aqui há mais gente disposta a testar novidades de cozinhas diferentes”, afirma Claudio Battaglia, um dos sócios do Amigo do Rei.

Amigo do Rei - NEGÓCIOS - 2261
Cozinha iraniana: o tahtin bo morgh, um dos pratos do Amigo do Rei, que começa a funcionar em maio (Foto: Nelio Rodrigues)

Outros empreendimentos vindos de fora, principalmente do Rio de Janeiro, conseguiram se estabelecer com sucesso na cidade nos últimos anos. Instalado na Vila Madalena, o bar de tapas carioca Venga! tem seu salão lotado desde a inauguração, em dezembro do ano passado. Nascida no Leblon, a Prima Bruschetteria comemora um ano por aqui em abril e tem motivos para festejar. “Investimos meio milhão de reais e o retorno está sendo muito bom”, conta Erik Nako, sócio da rede.

+ Chili’s oferece bons petiscos na linha tex-mex

+ Hooters volta com nova unidade na Vila Olímpia

+ Restaurantes com cartas de cachaça, cerveja, saquê, tequila e até pisco

São Paulo também vem atraindo o dinheiro de cadeias internacionais. Representante brasileiro da rede americana Hooters, que deve abrir em julho no Mooca Plaza Shopping uma segunda lanchonete, o empresário Marcel Gholmieh planeja trazer mais franquias internacionais para cá. A primeira delas será a Benihana, rede dos Estados Unidos especializada em cozinha japonesa. “Em agosto, vamos inaugurar a primeira unidade da marca na Rua Amauri, no Itaim, com um investimento de 3,5 milhões de reais”, anuncia Gholmieh. “Faremos pequenas adaptações no cardápio, incluindo sushis mais leves e menos fritura.”

Alexandre Miqui, empresário que como ele tem experiência na “importação” de restaurantes estrangeiros, acertou a vinda do peruano T’anta, prevista para ocorrer no primeiro semestre do próximo ano, em local a ser definido. “A casa lembra o estilo de um bistrô, mas que funciona ainda como café e rotisserie”, explica. Miqui é o responsável pela unidade nacional do igualmente peruano La Mar, em funcionamento desde 2009 no Itaim.

Venga! - NEGÓCIOS - 2261
Venga!: o bar de tapas que nasceu no Rio e ganhou filial na Vila Madalena vive lotado desde a inauguração, em dezembro do ano passado (Foto: Fernando Moraes)

Marcas que já estão por aqui há mais tempo perceberam, da mesma forma, o aquecimento do setor. Na cidade desde 2010, o Serafina, da Alameda Lorena, especializado em pratos italianos, é a única filial do negócio fora dos Estados Unidos. “Estamos nos preparando para abrir mais duas unidades”, diz Marcelo Alcantara, um dos sócios. A primeira das novas lojas tem inauguração prevista para agosto, na Rua Pedroso Alvarenga, no Itaim, e a segunda vai funcionar no piso térreo do Shopping JK Iguatemi, na Vila Olímpia.

Com mais de 1.000 unidades pelo mundo, a texmex Chili’s aterrissou em Moema em agosto. A boa performance da primeira experiência em terras paulistanas animou os proprietários, que planejam abrir uma nova filial até o fim do ano. “Estamos procurando o ponto ideal para iniciar a expansão”, afirma Felipe Ávila, diretor global de marketing da marca.

O QUE VEM POR AÍ

Quatro casas que devem desembarcar em São Paulo nos próximos meses

■ Amigo do Rei

Muda em maio para Moema, depois de funcionar nove anos em Belo Horizonte

■ Le Pain Quotidien

Serão três unidades da padaria belga. A primeira abre em maio, na Vila Madalena

■ Benihana

Vinda dos Estados Unidos, a rede japonesa será inaugurada em agosto

■ T’anta

Sucesso em cidades da América Latina, o restaurante peruano está previsto para o primeiro semestre do próximo ano

Fonte: VEJA SÃO PAULO