Cidade

São Paulo tem mais de 500 estrangeiros sem teto

Eles perambulam pelas ruas ou dependem de uma vaga nos albergues da capital

Por: Claudia Jordão - Atualizado em

Estrangeiros sem Teto 2267 Cidade
Conheça a história de três estrangeiros que vieram viver no Brasil e acabaram nas ruas (Foto: Fernando Moraes)

Existem 14.478 pessoas na cidade vivendo na rua ou em albergues, o que significa um aumento de 6% sobre a população de indivíduos nessa condição registrada há dois anos. Os dados fazem parte de um novo censo produzido pela Secretaria de Assistência Social da prefeitura. Divulgado na semana passada, o trabalho tem como objetivo dimensionar o tamanho do problema e, com isso, orientar as ações do poder público. Para dar conta da demanda crescente, há hoje uma oferta de sessenta abrigos na capital, com 10.115 vagas. O número de casas cresceu 40% desde 2009. Na Barra Funda fica a maior delas, com capacidade para aproximadamente 1.000 hóspedes. Nesses locais, os moradores recebem de duas a cinco refeições diárias. Manter a infraestrutura custa por mês 6 milhões de reais aos cofres do município.

+ Conheça a história do italiano Daniele Carbone

+ Ron Stephen White: veja como o canadense acabou vivendo nas ruas

+ O japonês Kiyoshi Ishimaru levou um golpe e acabou em um albergue

Desde 2000, a prefeitura acompanha por meio de pesquisas a evolução do quadro dos sem-teto. Nesse mais recente estudo, divulgou-se pela primeira vez o total de estrangeiros. O resultado apontou 513 pessoas, a maior parte delas de países da América Latina, como Bolívia, Peru e Colômbia (veja o quadro abaixo). Mas há as que vêm de outras regiões, como América do Norte, Europa e Ásia. Em comum, suas histórias carregam o sabor amargo de um sonho frustrado. Como vieram parar aqui e acabaram dormindo embaixo de uma marquise ou em albergues? “Eles desembarcaram em busca de uma oportunidade e falharam na tentativa de alcançá-la”, afirma Alda Marco Antonio, vice-prefeita e secretária de Assistência Social.

A seguir, VEJA SÃO PAULO mostra o depoimento de três desses personagens surpreendentes: um italiano de Nápoles, um canadense de Toronto e um japonês da província de Yamaguchi.

+ Cresce o número de estrangeiros nas faculdades da cidade

+ Histórias dos detentos da Penitenciária que reúne estrangeiros

TORRE DE BABEL

O raio X dos forasteiros que vieram para São Paulo e não têm moradia   

Estrangeiros sem Teto - Tabela
(Foto: Veja São Paulo)
Estrangeiros sem Teto - Tabela 2
(Foto: Veja São Paulo)
Estrangeiros sem Teto - Tabela 3
(Foto: Veja São Paulo)

DE ONDE VÊMAs principais localidades*

Bolívia: 83

Haiti: 67

Peru: 38

Colômbia: 34

* Inclui moradores de rua e usuários de albergues da prefeitura

Fonte: Censo e caracterização socioeconômica da população em situação de rua na municipalidade de São Paulo (2011)

Fonte: VEJA SÃO PAULO