Opinião do Leitor

Cartas da edição 2466

Por: Veja São Paulo

Capa dentes 2466
(Foto: Veja São Paulo)

Comportamento

Sobre a reportagem “O branco já não é o bastante” (24 de fevereiro), penso que temos hoje uma inversão total de conceitos. Estamos indo para um ponto em que simplesmente tudo o que a mídia mostra é artificial, fabricado. Daqui a pouco, ser natural, ainda que para uma pessoa bonita, parecerá feio. Vanda Graciliano

Ao ler a reportagem sobre as novas técnicas usadas no embelezamento dos dentes, senti grande indignação quando um dos entrevistados fez a seguinte comparação: “Antigamente, eu tinha um monte de barraco de favela na boca. Agora está mais para mansão nos Jardins”. A colocação foi de extrema infelicidade, principalmente se formos ver o tempo que a maioria dos brasileiros “menos afortunados” aguarda para uma simples consulta ao dentista. Felício Otávio

A respeito da reportagem, a Câmara Técnica de Dentística, órgão consultivo e de assessoria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, recomenda cautela à sociedade para que não faça uso de serviços odontológicos por “modismos” ou “mera estética”, uma vez que a odontologia é uma área complexa, cujo bem maior a ser tutelado é a saúde. Camillo Anauete Netto, integrante da Câmara Técnica de Dentística

Não vou me privar de pequenos prazeres, como um cafezinho, para ter um sorriso artificial. Há programas na televisão hoje em que todo mundo parece estar usando dentadura. Diógenes Gomes

Administração

É revoltante ver denúncias de suspeita de corrupção no fornecimento da comida dascrianças (“Lambança na merenda escolar”, 24 de fevereiro). O povo não pode se esquecer desses casos nas próximas eleições. É preciso limar do cargo os políticos que agem de tal maneira. Nivaldo Pedro

Livros

Por que proibir o livro Minha Luta, autobiografia de Adolf Hitler (“Páginas da discórdia”, 24 de fevereiro)? É melhor conhecer os erros que a humanidade cometeu para que eles não se repitam do que omitir e fingir que nada aconteceu. Todos sabem das atrocidades fabricadas pelo nazismo. É difícil imaginar que alguém lerá a obra e pensará em seguir os ideais de Hitler. Sergio Finelli

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO