Comidas do Brasil todo sem sair de São Paulo

Especialidades de diferentes estados são preparadas por restaurantes paulistanos. Confira onde encontrar por aqui os sabores do Brasil 

Não é necessário sair de São Paulo para poder experimentar a riqueza da culinária brasileira. Mesmo sem a praia das capitais litorâneos ou o clima do sertão nordestino, dá para sentir aqui o gostinho de receitas típicas, ainda que adaptadas vez ou outra devido à disponibilidade de ingredientes ou ao gosto do chef.

Para tomar um tacacá em Belém do Pará, no Norte, e emendar num churrasco em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, por exemplo, seria preciso percorrer mais 4 000 quilômetros. Em território paulistano, porém, basta dar um pulo no Amazônia, na Bela Vista, e depois a uma das lojas da rede Fogo de Chão.

Confira abaixo uma seleção com outros bons restaurantes brasileiros na cidade: 

Bahia – Consulado da Bahia

Nem só de acarajé vive a Bahia – ou essa casa localizada em Pinheiros. Uma moqueca mista de pescada-amarela e camarão temperada com azeite de dendê (R$ 130,00, para duas pessoas) chega à mesa fumegante. Como manda a tradição baiana, arroz, pirão e farofa acompanham.

Ceará – Colher de Pau

O restaurante tem suas raízes em Fortaleza e traz para a Rua Doutor Mario Ferraz os sabores de lá, beeem carregados no creme de leite. O peixe à delícia é feito com pescada-amarela, molho branco, banana frita. Achou pesado? Pois saiba que a receita ainda vai ao forno com requeijão ou mussarela (R$ 111,90, para duas pessoas). Para incrementar a receita com camarão, o preço sobe para R$ 178,20. 

Espírito Santo – Badejo

A moqueca de badejo com camarão-rosa (R$ 184,00, para duas pessoas) não abre mão da característica capixaba: no lugar do leite de coco e do dendê baiano, usa urucum e azeite de oliva. Os acompanhamentos são pirão, feito com o caldo do cozido, arroz branco e farofa de banana-da-terra.

Goiás – Rancho Goiano

Rancho Goiano

Rancho Goiano

Para provar o empadão goiano, é necessário encomendá-lo ou esperar pelo menos uma hora no salão até o prato ficar pronto. Uma massa espessa vem recheada de costelinha de porco, frango desfiado, linguiça, ovo, mandioca, azeitona e guariroba, um tipo de palmito amargo (R$ 115,00). O prato serve facilmente duas pessoas e pode ganhar o acompanhamento de arroz de pequi (R$ 135,00). Mais goiano, impossível.

Interior de São Paulo – Attimo

O chef Jefferson Rueda define sua cozinha como ítalo-caipira. Em outras palavras, os sabores da Itália se misturam com as adaptações feitas por imigrantes no interior do estado. O estilo é notado em pratos como o arroz de forno feito com galinha d’angola desfiada, milho verde e queijo meia cura (R$ 89,00).

+ Um passeio pela culinária latino-americana em São Paulo 

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul – Sobaria

Pelo nome, nem parece um restaurante brasileiro. Afinal, Sobaria seria um lugar especializado em soba da ilha de Okinawa, em vez de do macarrão japonês de trigo-sarraceno entra na receita o de trigo branco. A massa está entre as muitas influências estrangeiras encontradas na região. Pouco conhecidas na cidade, essa e outras receitas do Centro-Oeste podem ser apreciadas na casa. Um dos exemplos é o pintado ao forno com molho de urucum (R$ 48,00), servido com arroz, vinagrete, farofa e mandioca cozida. Outra opção é a sopa paraguaia (R$ 27,00), na realidade uma torta.

Minas Gerais – Consulado Mineiro

Consulado Mineiro - Vaca atolada

Consulado Mineiro – Vaca atolada

O restaurante, que possui três unidades em São Paulo, oferece com especialidade mineira a vaca atolada. O prato é feito com cozido de costela de boi com mandioca, tomate e cheiro-verde. Couve, feijão e arroz branco são os acompanhamentos (R$ 79,50). 

Pará – Amazônia

Em Belém, o tacacá se mostra um sucesso na happy hour. A sopa paraense de tucupi (caldo extraído da mandioca-brava) com goma de mandioca, jambu (verdura também conhecida como agrião-do-pará e de sensação anestésica) e camarão seco pode ser pedida aqui como entrada (R$ 19,00). Depois, uma opção para dividir é o pato no tucupi, acompanhado de arroz (R$ 82,00). 

Paraíba – Empório Nordestino

Especializado em churrasco ao estilo da Paraíba, serve carne de sol (R$ 75,00, para três pessoas) e contrafilé com cobertura de queijo coalho derretido na brasa (R$ 85,00, para duas pessoas). Feijão tropeiro, arroz, vinagrete, paçoca (salgada, claro) e macaxeira frita deixam a pedida ainda mais paraibana.

+ Conheça os melhores restaurantes brasileiros segundo a VEJA COMER & BEBER 2014

Paraná – Tordesilhas

Cozinheira intuitiva, Mara Salles coloca diferentes faces culinárias do país no cardápio de seu restaurante. Resgata, por exemplo, clássicos de diferentes regiões, em cuja preparação procura manter-se fiel às receitas originais. É o caso do barreado (R$ 65,00), suculento cozido de carnes típico do litoral do Paraná, que demanda 14 horas de panela. Um pirão é feito com o caldo da carne e farofa, o prato chega à mesa com banana-da-terra grelhada.

Pernambuco – Esquina Mocotó 

Esquina Mocotó

Esquina Mocotó

Vencedor na categoria de melhor brasileiro pela VEJA COMER & BEBER 2014, serve às quartas-feiras, no menu executivo (R$ 39,80), a feijoada pernambucana. Feita com feijão mulatinho, leva legumes como maxixe e quiabo e é acompanhada de arroz e farofa. É também possível encontrá-la em alguns sábados por R$ 89,90, para duas pessoas. Quem quiser se arriscar pode fazer a receita  do chef do ano Rodrigo Oliveira em casa.

Rio de Janeiro – Aconchego Carioca

Bolinho de feijoada do Aconchego Carioca

Bolinho de feijoada do Aconchego Carioca

Rio de Janeiro é sinônimo de uma porção de bolinhos. Aqui em São Paulo, a filial do bar carioca prepara quatro unidades de bolinhos de feijoada, acompanhados de torresmo e uma batida de limão por R$ 22,00. 

+ Onze restaurantes de São Paulo ganham estrelas Michelin

Rio Grande do Sul – Fogo de Chão

A rede de restaurantes serve o rodízio de carnes por R$ 116,00. Entre as opções de corte, a mais gaúcha, digamos assim,  é a costela feita no fogo de chão, assada por doze horas em uma grelha com carvão. 

Santa Catarina – Amadeus

Especializada em peixes e frutos do mar, a casa comandada pela chef Bella Masano recebe ostras frescas diretamente de um culitvo próprio em Santa Catarina. Fresca, a unidade sai por R$ 5,00 e tem gosto de praia. Na companhia de melância e pequenos cubos de bacon, a porção com quatro unidades custa R$ 26,00.  

Sertão Nordestino – Galinhada do Bahia

Bem bem simples, o espaço parece um boteco nordestino – tanto no jeito do salão, instalado dentro de uma vila mal pavimentada (mulheres, esqueçam o salto alto), quanto nas pedidas do cardápio. A buchada de bode faz parte do bufê servido no restaurante por R$ 60,00 durante a semana e R$ 70,00 aos sábados, domingos e feriados. O prato pode ser consumido com batata doce, maxixe e feijão.  

  

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s