Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Governo diz que vacinação deve começar em idosos, profissionais da saúde e indígenas

Ministério da Saúde falou sobre o Plano de Imunização contra a Covid-19 em reunião com especialistas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 1 dez 2020, 19h07 - Publicado em 1 dez 2020, 19h02

O Ministério da Saúde apresentou cronograma preliminar nesta terça-feira (1º) em reunião com comitê de especialistas sobre o Plano de Imunização contra a Covid-19. O documento, que já está em fase final de elaboração, prevê que a vacinação ocorrerá em quatro etapas. 

As primeiras doses da vacina devem ser aplicadas em idosos acima de 75 anos, profissionais de saúde e indígenas. Pessoas entre 60 e 74 anos vêm em seguida. Na próxima fase, recebem a vacina quem tem comorbidades, como doenças renais e cardiovasculares. Na quarta e última fase, de acordo com o esboço do plano, serão contemplados os professores, profissionais de segurança e presidiários.

O Plano não abrange vacina para toda a população brasileira no próximo ano. Cerca de 109,5 milhões de pessoas devem ser vacinadas e a estimativa é que a vacinação ocorra “em duas doses, como previsto pelos esquemas vacinais dos imunizantes já garantidos pelo Ministério da Saúde – Fiocruz/AstraZeneca e por meio da aliança Covax Facility”.

Especialistas presentes na reunião disseram que o ministério considera como principal vacina a ser distribuída pelo SUS a desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca. A compra de outros imunizantes não foi descartada.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade