Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Quase 4 mil paulistas tomaram vacina vencida da AstraZeneca, diz jornal

Imunizantes aplicados fora da data de validade em SP compõem as 26 mil doses ministradas irregularmente em todo o país; saiba como checar sua situação

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 3 ago 2021, 16h33 - Publicado em 2 jul 2021, 15h08

Pelo menos 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca foram aplicadas em diversos postos de saúde do país, o que compromete a proteção do imunizante contra a Covid-19. Dessas, 3 648 foram aplicadas no estado de São Paulo. Os números foram revelados por um levantamento do jornal Folha de S. Paulo e os dados utilizados constam em registros oficiais do Ministério da Saúde.

Até o dia 19 de junho, um total de 25 935 doses de imunizantes com o prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros. Todos esses integram oito lotes da AstraZeneca, sendo metade deles adquiridos do Instituto Serum da Índia e a outra metade da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde). A cidade de São Paulo é o terceiro município do país que mais aplicou as vacinas vencidas, com 996 doses.

As vacinas desses lotes foram distribuídas de janeiro a março pelo governo federal para todos os estados do país antes do vencimento. Há a possibilidade de que outras doses do imunizante da AstraZeneca, além dessas 26 mil, tenham sido aplicadas fora do prazo de validade, porque sabe-se que, das 3,9 milhões de doses distribuídas, 140 mil delas já venceram.

LEIA TAMBÉM: Cidades de São Paulo adotam medidas para evitar “sommeliers de vacina”

Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo confirmou cerca de 4 000 doses ministradas após a validade. A pasta afirmou que “orienta os municípios sobre a aplicação da vacinação contra a Covid-19 e a importância da verificação da data de validade antes do uso do frasco de uma vacina, inclusive com documentos técnicos com todas as condutas necessárias. Todas as grades são distribuídas dentro do prazo de validade”.

A pasta ainda disse que os casos constatados de aplicação de vacina fora da validade são avaliados individualmente para definição da conduta apropriada definida pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações).

Segundo nota do Ministério da Saúde, o órgão “acompanha rigorosamente todos os prazos de validade das vacinas contra a Covid-19 recebidas e distribuídas”. “As doses entregues para as centrais estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério”, completa.

Continua após a publicidade

+ Comissão de Ética em Pesquisa aprova início de testes com a ButanVac

Confira os lotes vencidos e as respectivas datas de validade

  • Lote 4120Z001: vencimento em 29 de março
  • Lote 4120Z004: vencimento em 13 de abril
  • Lote 4120Z005: vencimento em 14 de abril
  • Lote CTMAV501: vencimento em 30 de abril
  • Lote CTMAV505: vencimento em 31 de maio
  • Lote CTMAV506: vencimento em 31 de maio
  • Lote CTMAV520: vencimento em 31 de maio
  • Lote 4120Z025: vencimento em 4 de junho

Como checar e o que fazer

O lote da vacina pode ser conferido na carteira individual de vacinação. Quem tiver recebido uma dose de um desses oito lotes acima de AstraZeneca após a data de validade deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento. Na prática, é como se a pessoa não tivesse se vacinado contra a Covid-19. Segundo o PNI, quem tomou imunizante vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias depois de ter recebido a dose administrada equivocadamente.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade