Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Postos fazem lista de espera para aplicar vacinas que sobraram

Frascos abertos com dez doses têm limite de horas para a validade antes de ser descartados

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 21 fev 2021, 12h28 - Publicado em 21 fev 2021, 12h27

Para evitar que vacinas contra a Covid-19 fossem para o lixo, algumas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de São Paulo têm feito listas de espera para aplicação de doses excedentes. Diante da falta de doses em algumas cidades – e do anúncio do Ministério da Saúde de que apenas metade da quantidade esperada para o mês de fevereiro será entregue – a palavra “excedente” parece absurda – mas está ligada à validade do imunizante.

Os fabricantes AstraZeneca/Oxford e Butantan/Sinovac trabalham também com embalagens multidoses, com dez unidades. Uma vez abertas, elas precisam ser consumidas em poucas horas. Caso contrário, precisariam ser descartadas. Para evitar o desperdício, as UBSs foram orientadas a fazer listas de idosos acima dos 60 anos e profissionais da área da saúde que morem nas proximidades dos postos e chamá-los para a imunização.

A quantidade de doses excedentes – e de unidades que eventualmente foram descartadas – não é divulgada pela Secretaria Municipal da Saúde.

Publicidade