Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Instituto Butantan anuncia nova etapa de testes da ButanVac

Mais de 5 000 pessoas poderão se voluntariar para o estudo

Por Redação VEJA São Paulo 25 ago 2021, 15h25

O governador João Doria (PSDB) anunciou, nesta quarta-feira (25), que o Instituto Butantan realizará testes clínicos da vacina ButanVac na cidade mineira de Guaxupé. Para o estudo da segurança e eficácia do imunizante, que é o primeiro com produção integral no Brasil, o instituto recebeu aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Está previsto o envolvimento de mais de 5 000 voluntários, entre 18 e 28 anos.

“O Instituto Butantan firmou parceria com a prefeitura de Guaxupé para que moradores da cidade mineira façam parte dos 5 400 voluntários para a testagem da vacina Butanvac, que começou no dia 9 de julho”, disse Doria. 

A partir desta sexta-feira (27), o Instituto Butantan vai iniciar visitas a Guaxupé para avaliar aspectos da Covid-19 na cidade mineira como a incidência do vírus e a variante dominante no município. Já se sabe que o estudo vai abranger pessoas não vacinadas de 18 a 28 anos porque o município está no momento vacinando adultos com mais de 28 anos.

A previsão é de que os voluntários receberão a primeira dose da ButanVac até a primeira quinzena de setembro, com segunda dose está prevista para ser aplicada acontecer até o meio de outubro. Antes das administrações do imunizante, os voluntários vão passar por um processo de triagem.

Como vai funcionar

Os ensaios clínicos da ButanVac serão divididos em duas fases compostas pelas etapas A, B e C. A etapa A será realizada com 418 voluntários selecionados nas cidades de Ribeirão Preto e Guaxupé e tem como objetivo avaliar a segurança e a dose ideal de imunizante a ser ministrada. Durante os testes, o grupo controle vai receber a ButanVac ou a Coronavac, usada como vacina de comparação, e não haverá placebo envolvido. Isso difere da prática usual de estudos de eficiência de vacinas, mas, segundo o Butantan, é possível porque os marcadores imunológicos e parâmetros de segurança já foram estabelecidos pelas demais vacinas contra a Covid-19 em uso.

Continua após a publicidade

Já as etapas B e C irão avaliar a resposta imune e envolverão mais de 5 000 voluntários da cidade mineira. Com os dados, será feita a comparação entre o desempenho da ButanVac e outros imunizantes. Além da eficácia geral do imunizante, os testes vão avaliar o desempenho diante das novas variantes do coronavírus.

“O envolvimento da população de Guaxupé nesta fase do estudo será extremamente importante para continuidade da pesquisa, contribuindo para que possamos avaliar os resultados da ButanVac de maneira mais eficaz”, afirmou Dimas Covas, o presidente do Instituto Butantan.

Sobre a ButanVac

A ButanVac utiliza a mesma tecnologia da vacina contra a influenza (gripe). Ela é desenvolvida a partir da inoculação de um vírus modificado da doença de Newcastle que contém a proteína Spike do SARS-CoV-2 estabilizada.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

 

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade