Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

SP começará a vacinar crianças com comorbidades; veja quais se encaixam

Critério foi definido devido ao pequeno número de doses; vacinação pode começar na sexta-feira (14)

Por Clayton Freitas Atualizado em 12 jan 2022, 15h34 - Publicado em 12 jan 2022, 15h28

O governo estadual definiu que as primeiras crianças de 5 a 11 anos a serem vacinadas contra a Covid-19 serão aquelas com comorbidades. O critério foi definido levando em conta a pequena quantidade de doses a serem enviadas, de cerca de 250 mil doses, muito inferior as cerca de 4,3 milhões de crianças nessa faixa etária no estado.

Os detalhes foram apresentados no início da tarde desta quarta-feira (12) pelo governador João Doria (PSDB) e sua equipe, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Ainda durante a entrevista coletiva, foi anunciada a recomendação de reduzir em 30% a quantidade máxima de público em grandes eventos, além da prorrogação do uso obrigatório de máscaras no estado até o dia 31 de março.

O primeiro lote da versão pediátrica da vacina da Pfizer deve chegar ao Brasil no dia 13 deste mês, próxima quinta-feira. Estão previstos outros dois lotes, nos dias 20 e 27 de janeiro, num total de 4,3 milhões de doses.

+Quais são as diferenças entre as vacinas pediátrica e adulta da Pfizer

“É um quantitativo ainda pequeno e por isso vamos seguir o que foi preconizado pelo Ministério da Saúde na vacinação de crianças de 5 a 11 anos, com a prioridade para comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas”, disse a coordenadora geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula.

Ao se referir a chegada do primeiro lote, Doria disse lamentar o pequeno número e disse se tratar praticamente de “uma amostra grátis”, já que não é suficiente para imunizar todas as crianças de 5 a 11 anos no estado.

Ainda segundo a coordenadora geral do Programa Estadual de Imunização, se de fato o primeiro lote da vacina chegar no dia 13, e for liberada no prazo correto, já na sexta-feira (14) é possível começar a imunização no estado de São Paulo.

Continua após a publicidade

+São Paulo recomenda reduzir em 30% público de grandes eventos

O cadastro no site Vacina Já está aberto. Ele é opcional e não é um agendamento, porém, agiliza em até 90% o prazo de espera na fila para a imunização. Para cadastrar os filhos, os pais ou responsáveis devem acessar o site https://www.vacinaja.sp.gov.br/ Lá, deve clicar no botão “Crianças até 11 anos” e preencher o formulário.

O governo estadual diz já ter distribuído 4,5 milhões de carteirinhas de vacinação para crianças. Ela é diferente das usadas pelos adultos. Confira abaixo o modelo.

Carteirinha para anotar vacinas contra a Covid
Modelo que será usado para anotar as vacinas contra a Covid-19 tomadas por crianças de 5 a 11 anos Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Para a vacinação, além dos mais de 5 mil pontos de vacinação, foram disponibilizadas 268 escolas estaduais. A Secretaria Estadual de Saúde informou já ter adquirido 9 milhões de seringas que serão usadas na vacinação infantil.

+Uso obrigatório de máscaras é prorrogado até o dia 31 de março

Comorbidades
As crianças com comorbidades integram o primeiro grupo a se vacinar. Para comprovar a condição de risco, os pais ou responsáveis devem apresentar exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica. O cadastro na UBS (Unidade Básica de Saúde) onde a criança recebe tratamento também é válido.
Confira abaixo a relação de comorbidades

  • insuficiência cardíaca;
  • cor-pulmonale e hipertensão pulmonar;
  • cardiopatia hipertensiva;
  • sídrome coronarianas;
  • valvopatias;
  • miocardiopatias e pericardiopatias;
  • doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;
  • arritmas cardíacas;
  • cardiopatias congênitas;
  • próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;
  • talessemia;
  • síndrome de down;
  • dibetes mellitus;
  • pneumopatias crônicas graves;
  • hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3;
  • hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo;
  • doença cerebrovascular;
  • doença renal crônica;
  • imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos);
  • anemia falciforme;
  • obesidade morbida;
  • cirrose hepatica;
  • HIV

Continua após a publicidade

Publicidade