Clique e assine com até 89% de desconto

Doria anuncia que SP receberá 120 000 doses da Coronavac no dia 20 de novembro

Imunizante ainda está em fase de testes; governo anunciou também início das obras da fábrica da vacina

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 9 nov 2020, 16h21 - Publicado em 9 nov 2020, 16h19

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, disse nesta segunda-feira (9) que o estado irá receber as primeiras 120 000 doses da Coronavac no dia 20 de novembro. A vacina contra a Covid-19 é desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

“As primeiras doses da vacina Coronavac chegam ao Brasil no dia 20 de novembro e esta data está confirmada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado, nós já tínhamos comentado isso com vocês, a própria Anvisa já havia emitido comunicado também, e agora as autoridades sanitárias da China a Anvisa chinesa também deu autorização para importação, pelo instituto Butantan, dos lotes 6 milhões de vacinas, sendo que as primeiras 120 000 doses chegam no dia 20 de novembro no aeroporto internacional de Guarulhos em São Paulo”, afirmou Doria durante coletiva de imprensa.

Por motivos de segurança, o local onde a vacina ficará guardada será mantido sob sigilo, disse Dimas Covas, diretor do Butantan.

O governo anunciou ainda o início das obras da nova fábrica da vacina Coronavac. Com capacidade de produção de 100 milhões de doses por ano, a planta será construída com doações da iniciativa privada realizadas durante as reuniões do Comitê Empresarial Solidário e Econômico.

“É um dia histórico para São Paulo e para o Brasil. Um passo fundamental que consolida ainda mais o Instituto Butantan, e o Brasil, na liderança mundial em desenvolvimento e inovação tecnológica para a produção de vacinas”, afirmou Doria.

Continua após a publicidade
Publicidade